Últimos posts


Livro: A cidade de bronze
Livro 1
 Autor (a): S. A. Chakraborty
Editora: Morro Branco / Gênero: Jovem Adulto / Fantasia
Páginas: 608 / Ano: 2018
Skoob / Amazon

        Olá pessoal tudo bem? Espero que sim! Hoje a resenha que trago é dessa riqueza lançada pela editora Morro Branco no ano passado. Primeiro livro de uma trilogia, a Cidade de Bronze já começa a nos conquistar com sua edição luxuosa: a capa dura, toda adornada com brilho, em tons de ouro e bronze. Na hora que coloquei as mãos nesse livro já fiquei apaixonada. Nesse quesito a obra não deixa nada a desejar, fazendo com o leitor sinta vontade e fique extremamente alegre de ver um livro lindo assim na sua prateleira. Sim, ganhou lugar de destaque na minha! hahah


        Bom, diferente de algumas fantasias que estou acostumada a ler, achei a ambientação deste livro um ponto super forte e atrativo. Soa muito como Mil e uma noites, onde a autora constrói a história em um ambiente rodeado de cultura do oriente médio, e a gente se sente parte desse ambiente, conforme a narrativa evolui. Então é tudo muito rústico, muito ladeado por seitas e tradições, seres fantásticos e luta de classes, interesses e porque não escravidão. 

        Com três personagens principais poderosos e que não dependem um do outro para serem fortes no enredo, a autora vai nos apresentar devagar Nahri, Dara e Ali. 

        Nahri é uma humana (pelo menos ela sempre achou que fosse) com alguns dons para cura. Na maioria das vezes ela engana as pessoas para sobreviver, mas ela sente que dentro dela há algo sim de especial. Muitas vezes consegue curar doenças com sua experiência de vida, e muitos no Cairo a procuram como curandeira, mas em magia ela nunca acreditou, apesar de seus amigos próximos a alertarem que ela constantemente mexe com fogo e uma hora vai se queimar.

        Em uma dessas tentativas de impressionar as pessoas que a procuram com magia de mentirinha, ela invoca acidentalmente Dara, um super poderoso guerreiro djinn. Depois de invocado, Dara percebe que a pessoa que o invocou não é simplesmente uma humana, e já que foi invocado se sente no direito de mostrar a Nahri que magia existe sim e que ela pode ser descendente de alguém muito influente, já que conseguiu invocá-lo em uma de suas orações. Nahri está contrariada, não quer mudar de vida, mas Dara a obriga, e ela não é boba de se recusar a obedecer um ser mágico e poderoso como Dara, ainda mais depois de descobrir sobre tapetes voadores, civilizações altamente predatórias, seres mágicos e a lendária Cidade de Bronze. Nahri tem a oportunidade de conhecer sua passado e trajetória enfim, já que sempre se sentiu perdida no mundo, vivendo sozinha, sem conhecer seus parentes.


        Acontece que Dara não lhe contou toda a história. E Dara não é um ser muito bem quisto na Cidade de Bronze. Aparecer lá, com um Nahri, pode significar a morte de ambos. Mas não há outra escolha. Dara está decidido a enfrentar seus monstro do passado, honrar seu destino e levar Nahri de volta a cidade a qual ela sempre pertenceu.

        O que Nahri não sabe é que a Cidade de Bronze é extremamente política e que o rei de lá faz o que bem entende. Seu filho Ali parece ser o único a ter bom coração no lugar. Mas o passado da família de Nahri não o agrada, e há muito mais segredos guardados que Nahri não sabe e que serão usados contra sua pessoa, em uma cidade diferente de tudo o que ela já viu.
        Eu simplesmente fiquei fascinada por essa fantasia. Ela te prende do começo ao fim. Tive apenas algumas dificuldades com nomes mais complicados que a autora usou para definir as populações e castas dos personagens, mas depois de um tempo de leitura você acaba se acostumando, mas é preciso ler com bastante atenção para não perder algum dado importante depois.

        A gente vê claramente que ela usou de artifícios de classes sociais, escravidão, rebelião, tudo de forma a estar escondido nas entrelinhas e aguçando no leitor um senso crítico. Há romance também, e pode-se dizer que ele é quase um triangulo amoroso, mas como os três personagens principais são muito autossuficientes e bem construídos, isso é só um plus para toda a fantasia que vamos vivenciar lendo o livro. Gostei muito da personagem de Nahri e de seus diálogos com Dara, e Ali é um personagem totalmente misterioso, que carrega intenções ora boas, ora ruins, mas que na grande maioria do tempo tinha sede de fazer o que era correto.  


        Nesse mundo fantasioso criado pela autora, vamos acompanhar uma história de uma civilização mágica que está lutando para se reconstruir, que busca resgatar seus costumes e crenças, mas que ao mesmo tempo tem um rei que quer ser conveniente nas suas escolhas e que na grande maioria das vezes força seu poder de verdade absoluta frente aos seus liderados. Não vejo a hora de ler o próximo livro, pois ficamos com aquela vontade de saber o que vem a seguir, de voltar a torcer pelos personagens que gostamos. Super recomendo para quem gosta do gênero e quer fugir do lugar comum. 


Sinopse:
Cuidado com o que você deseja...

Nahri nunca acreditou em magia. Golpista de talento inigualável, sabe que a leitura de mãos, zars e curas são apenas truques, habilidades aprendidas para entreter nobres Otomanos e sobreviver nas ruas do Cairo.

Mas quando acidentalmente convoca Dara, um poderoso guerreiro djinn, durante um de seus esquemas, precisa lidar com um mundo mágico que acreditava existir apenas em histórias: para além das areias quentes e rios repletos de criaturas de fogo e água, de ruínas de uma magnífica civilização e de montanhas onde os falcões não são o que parecem, esconde-se a lendária Cidade de Bronze, à qual Nahri está misteriosamente ligada. 

Atrás de seus muros imponentes e dos seis portões das tribos djinns, fervilham ressentimentos antigos. E quando Nahri decide adentrar este mundo, sua chegada ameaça recomeçar uma antiga guerra. 

Ignorando advertências sobre pessoas traiçoeiras que a cercam, Nahri embarca em uma amizade hesitante com Alizayd, um príncipe idealista que sonha em revolucionar o regime corrupto de seu pai. Cedo demais, ela aprende que o verdadeiro poder é feroz e brutal, que nem a magia poderá protegê-la da perigosa teia de intrigas da corte e que mesmo os esquemas mais inteligentes podem ter consequências mortais.

Compartilhe com os amigos
Blogger Widgets


Livro: O casamento da princesa
 Autor (a): Meg Cabot
Editora: Galera Record / Gênero: Jovem Adulto
Páginas: 448 / Ano: 2015
Skoob / Amazon


        Oii gente!!! Tudo bem? Espero que sim! Hoje a resenha que trago é dessa mega linda da Meg Cabot ~ não me canso de ler esses livros fofos dela, mesmo tendo 30 anos! kkk ~. O casamento da princesa era o livro que faltava para eu ler, já que li a coleção dos outros dez livros anteriores a este, intitulada "O diário da princesa" que virou até filme - e que eu assistia sempre que passava nas sessões da tarde na Globo kkkk... então aconselho se vocês forem ler, a ler na sequência, e tomar muito cuidado com essa resenha porque ela está recheada de spoilers dos outros livros kkk. Esse é o último gente, então tem mais 10 livros para ler antes! Isso mesmo. É bastante livro para uma série só, mas quer saber, eu adoro, li super rápido, porque são mega hilários, a protagonista é muito doida e se mete em muitas confusões, então vale à pena. Tá ok, eu sei, você deve estar pensando assim: "nossa, essa menina nunca vai crescer" e não vou mesmo, #prontofalei.


        Neste livro vamos encontrar uma Mia mais madura. Agora ela está com 25 anos, quase 26. Michael, seu amor do colegial está com 30 anos e construiu um império com sua empresa de robôs. Os dois ainda estão juntos e muito felizes, mas a impressa de forma geral já está pegando muito no pé da princesa solteira e todo dia sai uma matéria esdruxula sobre os dois nos jornais fazendo com que Mia perca muito a sua paciência.

        Se não fosse só esse problema, seu pai começou a dar uma de garotão rebelde e vem se metendo em uma confusão atrás da outra. Mia acha que é para chamar a atenção de sua mãe, já que o padastro de Mia faleceu e o pai sempre teve uma queda por seu amor de juventude. Mas Mia tem quase certeza de que sua mãe não está disposta a viver esse amor novamente. Ou quem sabe... sim? Mia está totalmente confusa com os dois e prefere gastar suas energias em outras coisas. Como por exemplo na sua Posição no Ranking de Realeza mais famosa, que nas últimas semanas vem deixando a desejar. Não que isso realmente importe.


        Mia está bem incomodada com a intromissão dos paparazzis em sua vida, mas parece que tudo vai ficar bem, agora que Michael a chamou para um final de semana romântico e tudo indica que ele vai a pedir em casamento. Mas alguns segredos de família podem atrapalhar o plano dos dois e noticias bombásticas estão prestes a serem lançadas ao ventilador, fazendo com que a princesa e sua avó (que continua a mesma praga de sempre) fiquem noites sem dormir.

        Esse livro final foi muito mais do que eu esperava, ainda mais por conter esse mistério em torno de um grande segredo de família. Achei genial. E continua tão engraçado como os outros livros. A avó de Mia é uma peça, super irreverente e sua boca deslavada é típico do que a gente vê de muitas avós por aí. Mia e Michael estão ainda mais fofos nesse último livro e a sintonia dos dois é deliciosa de acompanhar. Essa é uma das minhas séries fofas favoritas, que eu guardo com muito carinho na estante e tenho a maior paixão. Voltar aos personagens depois de um tempo me fez sentir um misto de nostalgia, porque acho que já faz uns cinco anos que eu li o último livro da série. Mas a história toda estava muito viva na minha mente e curti demais visitar todos os personagens novamente. Indico muito, indico mil vezes, principalmente para jovens e adolescentes - assim como eu ;) hahaha. 



Sinopse:
O tão aguardado décimo primeiro volume da série que encantou milhões de adolescentes pelo mundo. 
A série mais amada pelas adolescentes dos anos 2000 está de volta em um romance para os jovens adultos. No novo volume de O diário da princesa, cinco anos se passaram desde que Mia se formou na faculdade — e sua vida anda bem agitada. Ela coordena um centro comunitário em Nova York, continua perdidamente apaixonada por Michael e está sempre cheia de compromissos reais na agenda. E por falar em compromisso... A imprensa não perde uma oportunidade de maldizer a vida do casal. Por que não se casaram até hoje? Existe outro pretendente? Como a família real permite que ela passe as noites fora de casa? Os paparazzi vivem atrás da princesa, mas ela tem outras prioridades. Até passar um fim de semana romântico com seu amor nas Bahamas. Será que chegou mesmo a hora do “felizes para sempre”?




Compartilhe com os amigos
Blogger Widgets


Livro: A amiga de Leonardo da Vinci
 Autor (a): Antonio Cavanillas de Blas
Editora: Contexto / Gênero: Romance Histórico
Páginas: 256 / Ano: 2018
Skoob / Amazon

        Olá pessoal! Tudo bem com vocês? Hoje a resenha que trago é desse romance histórico que me fisgou desde a primeira página. Com um título que agrada e que nos convida a conhecer mais sobre uma amizade de uma das musas inspiradoras de Leonardo da Vinci, A amiga de Leonardo da Vinci será narrada pela dona da beleza de um dos quadros mais importantes do autor: Dama com arminho. Cecília Gallerani, a inspiração para essa obra, nos narrará em primeira pessoa parte de sua vida, e junto com ela acontecimentos curiosos que envolveram o mestre Da Vinci.


        Gosto de livros assim porque: fiquei muito absorta na narrativa, já que o autor de maneira alguma deixa a narrativa pesada, por se tratar de uma época mais antiga, afinal o livro acontece entre os anos de 1473-1536. Fiquei preocupada quando começasse a ler de não me conectar com a leitura, mas foi totalmente o contrário, pois o autor nos deixa muito à vontade, acompanhados de Cecília nossa narradora irreverente.

        Cecília sempre foi uma jovem bela. Era cobiçada pela maioria dos homens por onde passava. E antigamente os casamentos eram arranjados muito cedo para as mulheres - fiquei chocada com isso. A mulher mal menstruava e já estava se casando, logo Cecília escondeu sua menarca, com ajuda de sua escrava, por mais de um ano, para não precisar se casar tão cedo, já que menstruou aos doze anos. Muitas jovens naquela época se casavam nessa idade, e já mantinham vida sexual ativa, inclusive engravidando. 

        Quando seu pai resolveu a unir com um velho rabugento e asqueroso para firmar uma aliança conveniente, ela se recusou, fez greve de fome e conseguiu se livrar do que seria um casamento entre uma garota de 13 anos e um velhote de quase sessenta. Cecília além de audaciosa, tinha um dom: era poetisa e isso chamou a atenção dos maiores apreciadores de arte. Foi em um destes encontros com artistas renomados que ela conheceu uma das pessoas que seria seu melhor amigo: Leonardo da Vinci.


        Leonardo da Vinci era um tipo fascinante aos olhos da garota. Durante a evolução da narrativa do livro, vamos acompanhar diversos encontros entre os dois, e em cada um deles ficamos sabendo através de diálogos espirituosos entre ambos no que Da Vinci estava trabalhando. Essa construção histórica de suas obras e inventos narradas em forma de história foi um deleite para mim, porque tornou o descobrimento desse artista leve e interessante. Os encontros entre os dois eram sempre permeados por obras inteligentes e fascinantes e assim conseguimos entender a mente pitoresca que Da Vinci tinha para sua época. 

        Além dessa conexão de amizade que vamos acompanhar, junto com Cecília vamos conhecer duques e reinados, guerras e acontecimentos trágicos, em uma Itália Renascentista, recheada de artistas conceituados. Neste livro vamos fazer uma viagem linda pelo mundo artístico, sob a perspectiva de uma mulher interessantíssima que fazia o que lhe convinha. 

        Seu quadro, Dama com arminho, foi retratado quando foi amante de um dos duques mais influentes de Milão, Ludovico Sforza. Ele pediu o quadro a Leonardo. Seu quadro foi um dos mais admirados da época e um dos mais cobiçados por grandes apreciadores de arte. Leonardo lhe disse mais de uma vez que foi uma das obras que mais lhe deu prazer realizar. 

        Para quem gosta de história com uma pitada de narração audaciosa, esse livro é perfeito. Não é maçante em momento algum, aliás uma leitura muito leve e convidativa. Nele vamos conhecer um pouco mais dos relacionamentos e como surgiram obras de Da Vinci, vamos torcer por uma certa poetisa e retornar ao ano de 1500, para sermos banhados por acontecimentos históricos muito relevantes e deliciosos de serem recordados. 

Não dormi aquela noite, fiquei me virando na cama. Duas vezes saí para a varanda com vista para o parque. A lua, não sei se crescente ou minguante, estava deitada sobre si mesma exibindo sua nudez impudica. O cheiro de madressilva, de jasmin e de maravilha me deixava tonta. Tinha a sensação de interpretar a história, de habitar um lugar onde a arte e sabedoria moravam, a dor não existia e tudo era presidido pela beleza. 



Sinopse:
A amiga de Leonardo da Vinci é o relato de uma mulher extraordinária, que viveu em uma das épocas mais apaixonantes da História e foi próxima de um dos homens mais fascinantes de todos os tempos. Cecília Gallerani teve a coragem de desprezar um casamento arranjado, tornou-se amante do poderoso Duque de Milão, teve contato com reis, nobres, artistas, religiosos e inventores, presenciou ascensão e queda de reinos. A saga única de uma mulher livre em plena Itália Renascentista.
*
Dama com arminho, que enfeita a capa deste livro, é uma pintura importante de Leonardo da Vinci que retrata Cecília Gallerani. O quadro é menos conhecido por não estar em um dos grandes museus, mas em Cracóvia, na Polônia. Apesar disso, é considerado por especialistas como sendo do mesmo nível de obras mais famosas de Da Vinci, como a própria Mona Lisa, exposta no Museu do Louvre em Paris. Dama com arminho é a inspiração e o ponto de partida do escritor madrilenho Antonio Cavanillas de Blas, autor deste livro delicioso, que se lê de um só fôlego.


Compartilhe com os amigos
Blogger Widgets


Livro: Olhar de frente
 Autor (a): Tânia Alexandre Martinelli
Editora: Editora do Brasil / Gênero: Jovem Adulto
Páginas: 136 / Ano: 2018
Skoob / Amazon

        Oi pessoal tudo bem? Espero que sim! Hoje a resenha que trago é de um livro de uma pessoa muito querida. A autora do livro, a Tânia, foi minha professora no ensino fundamental, professora de português e muito do meu amor pela leitura vem dos incentivos lindos que ela dava aos alunos em relação ao universo dos livros. Ela começou a escrever e agora lança um livro atrás do outro, então sou muito fã de toda a trajetória dela, e de tudo o que ela tem conquistado enquanto escritora. Este livro em especial, fui no lançamento e peguei um autógrafo! Foi bem legal de acompanhar. 

        Os livros dela são na maioria voltados a passar grandes lições, a falar sobre inclusão social e por isso são utilizados bastante em escolas de forma a trazer aos alunos essa consciência por trás da história.

        Em "Olhar de Frente", teremos 3 personagens principais: dois deles são cegos - um é o Beto, o outro é o Vladimir. Vladimir ficou cego depois de adulto e para ele essa transição foi extremamente dolorosa. Ele chega a ser uma pessoa muito rabugenta na maioria de seus dias, e como sua profissão era a de fotógrafo ele passa os dias se lamentando e se mostrando frustrado, porque sua vida ficou muito limitada. Já Beto é cego há mais tempo, mas enfrenta desafios do mesmo jeito. Por ser jovem, tem medo da rejeição dos amigos na escola e quando se vê apaixonado por uma garota da sua sala e que é sua amiga há bastante tempo fica ainda mais inseguro. Será que uma pessoa normal se apaixonaria por alguém que é cego?


        Sebastião, outro personagem, é catador de recicláveis. Ele é uma pessoa muito de bem com a vida, na maioria dos dias, e acaba por ser aquele que vai sempre animar o seu Vladimir, porque sempre se encontram para conversar no mesmo banco de ônibus, quase todos os dias. Mas a vida que leva também não é fácil. Sebastião é analfabeto e sente muita vergonha disso. Tem hora que bate aquela crise existencial nele e tudo fica pesado demais. Cuidar de três filhos e uma esposa catando recicláveis não é fácil.

        Acompanhar a história destas três pessoas vai nos trazer um misto de compaixão. Mas ao mesmo tempo nos mostra que mesmo sendo diferentes, somos seres únicos e cada um de nós passa por nossos percalços durante a vida. Ninguém está livre de sofrimento, mas como você supera a sua dificuldade, os seus flagelos é que é o segredo. De formas distintas, os três personagens amadurecem muito na trama e vão quebrando barreiras tanto impostas pela sociedade (infelizmente) como as barreiras destrutivas que foram construindo em torno de si para justificar sua posição enquanto pessoa oprimida. Aprendemos de forma muito empática com os três que o nosso destino é a gente que trilha e se não formos fortes o suficientes para fazê-lo, ninguém o fará por nós.

        Um livro que traz muitas lições e é uma leitura bastante leve, rápida, indicado para se discutir em família e em rodas de conversa. Indico muito a leitura!

Não existe pior vilão que a própria pessoa, Beto caiu numa autocrítica pesada que lhe estragou a manhã e a tarde. 



Sinopse:
Beto é um adolescente comum, que vai à escola e está apaixonado. Vladmir é um senhor rabugento, que está sempre se lamentando por ser cego. Sebastião é um catador de material reciclável, que vive espalhando sua alegria mesmo a quem não é tão receptivo, como Vladmir. Três gerações, três vidas completamente diferentes, três histórias que se cruzam nesta sensível narrativa. Cada um desses personagens, na busca pela superação de seus conflitos, vai mostrar ao leitor uma nova maneira de ver o mundo – mais humana, e cheia de possibilidades.



Compartilhe com os amigos
Blogger Widgets


Olá pessoal!

        Hoje vim conversar com vocês sobre dicas para fazer uma boa compra de livros baratos. Muita gente me pergunta onde costumo comprar meus livros, quais sites são confiáveis para compras on line e onde encontramos o melhor preço.

        Eu amo livrarias. Sempre que vou em algum lugar que tem (shopping por exemplo) eu entro e fico horas e horas vendo livros. Mas sabemos que na maioria das vezes os livros em livrarias sao mais caros (infelizmente!) então faço muito das minhas compras on line.

        O site que mais compro livros eh o do Amazon:
        Na maioria das vezes consigo promoções bem bacanas com eles, e são super confiáveis, nunca tive intercorrências. E olha que já precisei fazer trocas de livros, ou reclamar que veio algo de errado com meu pedido e eles são sempre muito receptivos e solucionam mesmo qualquer problema. 

        Outros dois que compro muito tambem sao o Submarino e a Lojas Americanas:






        Esses dois sites fazem umas promoções bem malucas as vezes, com livros super baratos, principalmente na época de Black Friday. 

        Mas, antes de comprar em qualquer um destes sites, agora vou dar uma dica BEMMMM VALIOSAAA! Então presta atenção! 

        Eu sempre verifico antes cupons de desconto que estão ativos, para economizar mais ainda, como pox exemplo no valor do frete, ou com descontos na compra de cada produto mesmo, e para isso eu uso o lindo, o glorioso, site CUPOM VALIDO!


        O Cupom Válido é um site que reúne promoções e cupons de desconto com o objetivo das pessoas economizarem em suas compras online.

        O site é totalmente seguro, pois eles apenas divulgam as promoções e cupons, a compra em si é sempre feita diretamente no site da loja.

        Além disso, todos os cupons são gratuitos e não precisa nem de cadastro para utilizar.

        Eles saíram em uma lista da revista Exame como um dos melhores sites de cupons gratuitos: exame.abril.com.br/seu-dinheiro/12-sites-para-conseguir-cupons-de-desconto-de-graca/

        O bacana eh que eu não uso esse site apenas para comprar livros - hehehe, e sim para outras compras on line também, porque ele te permite ver cupons ativos em diversas lojas.



        Bom, espero que vocês tenham gostado das dicas, e gostaria de saber se vocês também compram livros em lojas virtuais. Quais as que vocês mais usam? Também utilizam sites de cupons para suas compras? Conta ai! Toda troca de informações eh bem vinda!



Compartilhe com os amigos
Blogger Widgets


Livro: Aristóteles e Dante descobrem os segredos do universo
 Autor (a): Benjamin Alire Sáenz
Editora: Seguinte / Gênero: Jovem Adulto / LGBT
Páginas: 392 / Ano: 2014
Skoob / Amazon


        Oi pessoal! Tudo bem com vocês? Hoje trago resenha de um livro que eu favoritei! hehe, sim porque eu AMEI! Fazia tempo que eu lia muitas resenhas positivas a respeito de "Aristóteles e Dante descobrem os segredos do universo" e estava louca para descobrir esses segredos hahah, mas comprei o livro faz um tempinho e como ganho vários para resenhar de editoras, acabou que esse foi ficando na estante, só me observando. Mas no final desse ano tomei vergonha na cara e peguei para ler e li em tipo, 3 dias. Até fiquei com dó quando virei a última página, porque quando a gente ama muito um livro não quer que ele acabe.

        O livro vai nos trazer uma história linda de amizade e descobertas de dois adolescentes o Ari (diminutivo de Aristóteles. Onde sua mãe estava com a cabeça quando lhe deu esse nome ele jura que não sabe) e Dante. Os dois vivem em um bairro nos Estados Unidos onde a maioria é imigrante do México. Inclusive os dois muitas vezes se sentem deslocados, porque não se sentem nem norte americanos, nem mexicanos. 

        Ari tem problemas de comunicação. Ele não consegue se envolver muito com amigos, aliás, ele não tem nenhum. Ele culpa muito os pais por isso. Seu pai sobrevivente de guerra pouco fala, já que as lacunas que cresceram em seu coração neste período sombrio de sua vida estão lá permanentemente lhe lembrando o quanto foi difícil sobreviver e voltar para casa. E outro silêncio que paira na casa de Ari é a respeito do irmão mais velho que está preso. Todos estão proibidos de tocar no nome do irmão de Ari. E isso o incomoda muito, não poder falar do irmão. Ele se tornou um fantasma que assombra os sonhos de Ari e o faz ter um ódio velado de toda a família, por o privarem de falar do irmão. 


        Dante também tem dificuldade de manter amizades, porque é uma pessoa muito intensa, inteligente e pouco convencional. Quando ele conhece Ari na beira da piscina do clube do bairro onde moram, uma amizade acanhada de inicio começa a nascer. Logo os dois não se desgrudam mais e se tornam melhores amigos. É lindo ver a construção dessa amizade, como ela se desenvolve de maneira tão agradável e genuína.

Naquela tarde, aprendi duas palavras novas. 'Inescrutável'... e 'amigo'. 

        Mas os dois tem problemas demais não resolvidos. Dante acredita ser gay, e isso o incomoda muito. Ele não sabe como revelar essa situação aos seus pais, que ficariam muito decepcionados. E tentou sair com algumas garotas, mas simplesmente não rolou, então sim, ele é gay, mas como é difícil colocar todo esse sentimento pra fora. Ari não vai deixar nunca de ser amigo de Dante, mesmo sabendo disso, mas as coisas continuarão a ser as mesmas? Ainda mais quando Ari é um cara super bonito e fica difícil Dante ficar ao lado dele, pois a coisa que Dante mais deseja no mundo é alguém maravilhoso e que o entende assim como Ari o entende?

        Esse livro é MARAVILHOSO! e traz uma abordagem super necessária nos dias atuais. Fala das dificuldades do mundo adolescente de se encaixar, de como é difícil ser visto como diferente, como é forte a homofobia (ainda mais porque o livro é retratado na década de 90, onde o preconceito era mais forte). E eu me encantei porque o autor escreve tudo de uma forma muito poética e inteligente. A gente sente gosto e prazer em uma leitura assim. Acalenta o coração. Eu fiquei super envolvida. A amizade, o elo de confiança, os medos e os diálogos travados entre Ari e Dante são muito especiais. As questão familiares, muito presente nas vidas dos dois adolescentes também são duras lições que vamos acompanhando no desenrolar da leitura e que nos comovem muito, pois são cicatrizes difíceis de serem curadas e vivem abertas. O livro nos mostra muito o poder do diálogo no seio familiar e como a falta dele causa prejuízos enormes para todos os envolvidos. Eu adorei a leitura, já vou sair recomendando para todo mundo. Fiquei muito feliz de ter começado com uma mega expectativa e de o livro ter feito seu trabalho direitinho, me deixando felizona! hahah. Foi uma delícia de livro, que recomendo demais, demais!

Fiquei pensando que poemas são como pessoas. Algumas pessoas você entende de primeira. Outras você simplesmente não entende... e nunca entenderá.


Sinopse:
Dante sabe nadar. Ari não. Dante é articulado e confiante. Ari tem dificuldade com as palavras e duvida de si mesmo. Dante é apaixonado por poesia e arte. Ari se perde em pensamentos sobre seu irmão mais velho, que está na prisão.

Um garoto como Dante, com um jeito tão único de ver o mundo, deveria ser a última pessoa capaz de romper as barreiras que Ari construiu em volta de si. Mas quando os dois se conhecem, logo surge uma forte ligação. Eles compartilham livros, pensamentos, sonhos, risadas - e começam a redefinir seus próprios mundos. Assim, descobrem que o amor e a amizade talvez sejam a chave para desvendar os segredos do Universo.


Compartilhe com os amigos
Blogger Widgets


Livro: Sonho de uma noite de verão
 Autor (a): William Shakespeare
Editora: Martin Claret / Gênero: Drama / Teatro
Páginas: 115 / Ano: 2018
Skoob / Amazon

        Oi gente! Tudo legal? Hoje a resenha que trago é uma obra clássica. Muitos já ouviram o nome de William Shakespeare. Acredito que seja um dos autores mais conhecidos do mundo. Suas obras já foram interpretadas centenas de vezes, em teatros, filmes, novas edições de livros, ele é o que podemos chamar de um imortal. Um ser que vai habitar essa terra por séculos e séculos sem fim com suas grandiosas obras. 


        Mas ouvir falar no nome de Shakespeare e conhecer por cima seus escritos - como a história de Romeu e Julieta, o clássico dos clássicos, não é a mesma coisa que ler os seus livros. É tão interessante e diferente quando temos contato a primeira vez com o seu estilo narrativo, que é na forma de teatro. Na verdade o que ele mais escrevia eram realmente peças de teatro, que depois eram interpretadas. Dele este é o quarto livro que leio. E é o primeiro dele que vou ter na estante. Os outros li quando ainda estava no colégio e peguei na biblioteca da escola mesmo. 


        Sonho de uma noite de verão é uma peça muito romântica. Além de contar com seres fantásticos, como fadas e duendes, dando uma conotação toda mágica ao enredo. Achei mais fácil começar e terminar a história sem misturar com outras leituras, porque como há muitos personagens, é preciso uma atença maior, para se fixar na narrativa. 

O grande clímax da peça está no encontro no bosque quando duendes e fadas resolvem aprontar com quatro jovens apaixonados: Lisandro, Hérmia, Demétrio e Helena. Os quatro sofrem de amores não correspondidos, prometidos para quem não amam. E encantados nesse bosque, passam a sofrer de amores por quem nem imaginavam, já que se apaixonam pela primeira coisa que vêm na frente. A confusão desses amores improváveis acaba até em casamento e é a parte mais fantasiosa da história. Mas há outros acontecimentos paralelos também, como o ensaio de uma encenação de uma peça para o casamento do herói grego Teseu e Hipólita, e os atores são seres bem peculiares e engraçados, dando uma conotação muito particular à narrativa.

        Mas há a grande questão da paixão também de Titânia por uma aberração, já que é ela na história que sofre de uma inveja tremenda do amor que Teseu e Hipólita sente um pelo outro, e Oberon vai castigá-la, enfeitiçando e fazendo-a se apaixonar perdidamente por um burro. 

        Amores não correspondidos são o assunto principal deste livro e durante séculos e séculos esse assunto continua a ser representado, e mais do que atual. Sempre iremos sofrer por amor, isso vai acontecer com todos nós, em alguma fase de nossas vidas. Por isso tantas pessoas se identificam com a obra. Esse tipo de história não tem como morrer. É doce, ao mesmo tempo torcemos para que os jovens deixem de ser burros e consigam ter mais amor próprio. Mas não é assim que funciona. Quando se ama, se ama mesmo, é difícil tirar a pessoa do coração, e Helena, uma das personagens é um caso clássico de coração partido. Ela se humilha perante o homem que ama, se despe, lambe seus pés. Durante a leitura eu a julguei diversas vezes. Mas Quem nunca sofreu de amor assim? Vemos retratos como este diariamente. 


        Para finalizar, li essa obra na nova edição lançada pela Martin Claret no ano de 2018. A ilustração de capa foi feita pelo Weberson Santiago, um ilustrador que eu admiro muito, muito mesmo! Então ficou linda demais. As cores usadas dentro do livro também estão lindas. As edições da Martin Claret são sempre muito caprichadas e valem muito à pena. Eles lançaram mais algumas obras no mesmo estilo de capa e já estou me preparando para fazer coleção hahah. Gosto quando uma editora segue a mesma linha de edição para obras de um mesmo autor. Fica tão lindo na estante! Então fica a dica, que essa edição está lindíssima, fora que a tradução está ótima também. 

Olha outro livro que já lançaram, que legal que ficou a capa também:



Sinopse:
“Na palavra ‘sonho’ há uma natural conotação de despojamento, incerteza; ‘sonho’ pode ser qualquer um, qualquer coisa (...)” — assim Harold Bloom esmiúça o título desta que é considerada a primeira obra-prima de Shakespeare. Nesta fábula há uma variedade de temas e relações, onde folclore e mitologia aliados ao encadeamento mágico e trágico compõem um painel onírico jamais visto em nenhuma das obras do dramaturgo inglês. Essa polifonia talvez seja a grande virtude deste texto em que Shakespeare utiliza-se de uma fina e inteligente comicidade para deixar a reverência a deuses e reis de lado, apresentando tais seres veneráveis sob aspectos pouco solenes; seres cuja elevação reside em suas próprias insuficiências e imperfeições, reforçando o caráter essencialmente universalista da obra do bardo.



Compartilhe com os amigos
Blogger Widgets

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *