Falando de amor

"É assim o nosso ciclo. Eu te preciso. Perto, longe, tanto faz.
Preciso saber que tu está bem, se respira,
se comeu ou tomou banho -
com o calor que está fazendo neste verão,
tome pelo menos uns três ao dia, e pense em mim,
 estou com calor também".

Caio Fernando Abreu





Não sei muito falar de amor.
Aliás, me dói pensar nele.
Me dói pensar em não ter mais sua voz,
Seu gesto,
Seus olhos brilhantes,
observando a chuva ainda morna que tica o telhado.

Falar de amor dói,
quando sabemos da certeza de o que amor um dia vai.
O que me alegra é saber que se não tiver o toque – pelo menos minha alma estará em sua companhia, entrelaçada num amontoado de nuvens.




5 comentários:

  1. Mi vc tem outro blog não sabia...ja te sigo nesse tb...preciso por vc na minha lista pq tudo que vc escreve é lindo d+...bjossss

    ResponderExcluir
  2. ♥_________Mih_

    Lindo post !Otimo fim de semana bjos ♥

    ResponderExcluir
  3. Falar de amor quando se é jovem, dói...mais, dói menos que falar de amor, quando o corpo já é maduro.
    Pois infelizmente a maioria das pessoas, acham, que já passando da idade para amar, o corpo não deseja, não precisa mais de carinhos, afagos, que o corpo não pode mais sonhar. Ai dói forte, dói...dói sem parar... pois em sã consciência, você se vê obrigada a deixar de amar.Não existe mais toque... aquele que te faz sonhar.
    Lindo seu poema amiga...e um tema que nunca irá ficar velho, pois ele é uma fonte renovável nos corações daqueles que são eternos apaixonados.
    Saudades das suas visitas, elas me fazem bem.
    Abraços.

    ResponderExcluir
:) :,( ;) :D :-/ :? :v X( :7 :-S :(( :* :| :-B ~X( L-) =D7 :-w s2 \m/ :p kk