Tinha uma blusa


"... a saudade mais dolorida é a saudade de quem se ama.
Saudade da pele, do cheiro, dos beijos.
Saudade da presença, e até da ausência consentida.
Você podia ficar na sala e ele no quarto, sem se verem, mas sabiam-se lá.

[...]

É não querer saber se ele está mais magro, se ela está mais bela.
Saudade é nunca mais saber de quem se ama, e ainda assim doer..."


Martha Medeiros




Tinha uma blusa
Com teu cheiro no roupeiro:
Blusa suja de saudade
Blusa suja que beijo
... e me embriago
... me alimento
- de desejo.








O problema é que eu te amo...


"O problema é que eu te amo
Não tenho dúvidas que com você daria certo
Juntos faríamos tantos planos
Com você o meu mundo ficaria completo
Eu vejo nossos filhos brincando
E depois cresceriam, e nos dariam os netos"

Nando Reis


Havia no jardim uma garota.
Seus grandes olhos observavam o voar de uma folha outonal, que pendia duma árvore qualquer – naquele imenso quintal de sonhos.
Um rosto delicado, com sardas que pareciam pitadas pela mão de um artista renomado.
Os olhos – invadiam com ardor e trincavam a alma quando se olhava bem no centro.
Ela esboçava um sorriso, quando me via chegar.
- eu lhe tocava a barra da blusa e lhe dizia entre dentes –
 “fica comigo!”.

Ela pegava a flor dos meus dedos e a enroscava no cabelo – como se enroscasse meu coração nela.
Eu sentia o pulsar da lateral de sua orelha martelando meus sentidos quando ela debruçava em mim para contar do seu dia.

E me ardia,
Ardia aquela boca tão fina – longe da minha.
Ela dizia:
“Espera o amor – se curtido, fica mais saboroso”.




Estrada


"Eu estou na lanterna dos afogados / Eu estou te esperando /
Vê se não vai demorar
".


Paralamas do Sucesso



Já me perdi diversas vezes nessa estrada –
Estrada tipo emboscada que se bifurca em vários caminhos: difícil decidir.
Difícil partir. Difícil trocar os pés, avançar o passo,
Quando deixo como rastro um coração partido.

Sonho com teus olhos
E tua boca reluzente.
Sinto o perfume do teu cabelo e o que me acerta são respingos de chuva
Como quando teu corpo me pingava molhado, pós-banho.

Logo volto,
Logo me entrego nos teus braços – me espere.