Mãe


_ _ _ ♥ _ _ _  

Um amor diferenciado, um amor cheio de calor. Um amor curtido, um amor multiplicado, um amor incomparável. Amor de mãe. Amor que cabe num abraço, mas que ultrapassa as cercas do coração.




No meio do caminho



No meio do caminho tinha você.
Você, no meio do caminho.
Um caminho, você, um sorriso.
- Me perdi!



"Tô tentando ainda entender,
porque que aqui dentro, só quem ganha é você! ♥ "
 


anti-menina desastrada



Eu não tenho muito cuidado com as coisas.
Quando vejo, já estou pisando em sonhos.
Sorte minha meus sonhos serem anti-menina desastrada.



- Ser feliz é tão leve!


Não quero ser entendida.
Não quero ser rotulada, muito menos comparada.
Quero só abrir um sorriso, me deliciar com as bobeiras que faço e ir vivendo - livremente!


- Ser feliz é tão leve! 

"O passar do tempo é inexorável, e a lei da gravidade, incontestável. 
Que pena, por um lado, que bom por outro: a flacidez namora o equilíbrio da maturidade".




Já chovi muito.
Já escorri lágrima que deveria estar bem escondida, dentro do peito.
Tem hora que lágrima só atrapalha. Tem hora que o mal tempo de nada nos conforta.
Só nos prende em casa, nos faz ver da janela o dia cinzento passar.

...e chove,
e chovendo vai a chuva, molhando.

 

Impaciente


Eu sou meio impaciente.
Vejo o telefone dando sopa e logo disco, redisco, desisto e fico prostrada na frente dele.
“Por que não liga?” - me pergunto já torta de tanto discar e desistir.
O amor deveria ser logo. Para o amor não deveria ter grande espera.

Nota: Há, e o amor também não deveria causar úlceras.



...não era um sorriso qualquer.



...há não, não era um sorriso qualquer.
Era um sorriso que invadia a sala,
coloria as cortinas
e ascendia as luzes de uma forma que deixaria
com inveja qualquer interruptor.



Borboleta...



Me chamam borboleta...
 talvez pela levaza nos traços, quem sabe por saber voar no silêncio.
 Sabe, gosto.
Gosto da simplicidade das pequenas asas,
gosto do sabor do vento.



Mar




Eu olhava as pegadas na areia.
Incomodava-me serem apenas duas.
Minhas duas pegadas – um rastro de solidão cortando a praia, dando na beirada do mar.

O céu estava limpo
Uma única nuvem arqueava e se deixava transpor pelo sol, que a massificava com seus raios intensos.
A brisa leve me acertava a bochecha e meus pés se encolhiam a cada nova onda.

Pareciam meu coração que retorcido tentava não gritar de dor,
De ausência.

Contemplar o mar assim,
carregada de carência afetiva me fazia pensar tanta besteira!...

As ondas me acertavam,
Não se cansavam do ensejo, não se importavam de serem apenas dois os pés ali, sentindo o mar em sua magnitude. Cada novo arrepio em minha pele trazia a mente o teu abraço, cada novo arrepio teus braços, pernas e boca...

... o mar era tão vasto! Ainda assim não conseguiria afogar a dor toda.




teu riso



Sigo sonhando, tentando ver teu riso
teu riso sim, é motivo de sonho,
motivo de tontos devaneios viver.

Abra a boca que animo
invade a sala com teu som que piro
e estremeço toda de amor,
de dor
de querer.


Descalça




Desalinho teu coração, com a ponta dos dedos
Danço valsa das mais leves, romântica e atraente
Desfaço-te em suspiros,
Debruço-me e beijo-te – te vejo arrepiar do dorso ao pé.
Digo-te que te amo – me chama bailarina de sonhos
Desenhando com a sapatilha um arranhado de desejos.
Descalça – descanso-me em teu beijo.


(1) Meu livro - Descalça

Boa tarde pessoas lindas deste mundo mágico da blogosfera!
Espero que estejam todos bem!

Hoje vim lhes contar um pouquinho de uma conquista minha do ano passado.
Vim compartilhar com vocês a publicação
de meu primeiro livro:
"Descalça"



Se trata de um livro de poesias,
sendo que a maioria delas são de amor.






Também participei de algumas entrevistas.
Primeiro para o jornal local da cidade de Americana - SP,
o Jornal Todo Dia.

Segue fotos da matéria:







Também participei de uma entrevista junto à revista Unisal, faculdade que atualmente faço pós, e pela qual me tornei bacharel em Serviço Social.


Segue fotos da matéria:










E também participei em uma entrevista para o jornal interno da empresa que atualmente trabalho - Unimed Santa Bárbara D'oente, Americana e Nova Odessa.


Segue fotos da matéria:





E aqui vai a dica:
para adquirir o livro,
quem quiser,
é só acessar o seguinte site da editora:




Conto com vocês na ajuda da divulgação!

Beijo grande!




Seja [-me]



Liberte-se!
Borboleta?
Seja mais:
Seja-me.

e beija-me...
e come-me...
e êxtase.

voa.





"Disse a flor para o pequeno príncipe:
é preciso que eu suporte duas ou três larvas se quiser conhecer as borboletas".

Antoine de Saint-Exupéry

Beijo

"Eu não me acostumo sem seus beijos
E não sei viver sem seus abraços
Aprendi que pouco tempo é muito
Se estou longe dos seus braços
E por isso eu te procuro tanto..."

Roberto Carlos



Já flagelei meu lábio, pra ver se te esqueço.
O mordi apertado, senti o sangue pingando no dedo
Mas ele te lembra, te sente,
Sente teu beijo quente
Beijo-molhado,
Beijo-suado,
Beijo-francês.

Beijo que só teu lábio
Sabe ser.