Resenha - Tempos Extremos, de Míriam Leitão


Livro: Tempos Extremos / Autora: Míriam Leitão
Editora: Intrínseca / Gênero: Literatura Brasileira
Páginas: 272 / Ano: 2014

O livro Tempos Extremos foi o romance de estréia de Míriam Leitão, já conceituada jornalista brasileira. E acredito ter sido uma ótima estréia, pois o livro realmente é muito bom e te prende bastante. Aliás, tem um ótimo conteúdo histórico, que você acaba absorvendo de maneira sutil e clara, por se tratar de um romance com personagens, os elementos que muitas vezes seriam monótonos em livros de história ficam claros e gostosos de serem lidos, trazendo dinâmica ao livro. E em tempos como este, de embates políticos, de pessoas indo às ruas lutar por direitos, saber mais de nosso passado é fundamental para construir opiniões sólidas. 

O livro tem como principal personagem Larissa, uma mulher que está chegando na casa dos 40 anos e que ainda não soube escolher qual profissão se encaixa melhor em suas características, já tentou algumas coisas, mas nada ainda que a surpreenda. Essa indecisão mexe tremendamente com seus valores, já que em sua idade deveria já estar com uma profissão consolidada. Na verdade Larissa tentou ser jornalista e tem formação na área, mas não suportava mais a competitividade no ramo e está pensando em investir na carreira de historiadora. E o que vai despertar ainda mais essa sua certeza são uma sucessão de fatos que começam a acontecer quando resolve passar alguns dias na fazenda da família em Minas Gerais, para comemoração dos 88 anos de sua avó. 

Essa fazenda guarda mistérios, já que sua construção permeia a época dos escravos, e houve inclusive registro de um suicídio em suas dependências. Durante à noite, Larissa passa a ver vultos pela casa e começa a questionar sua sanidade, achando impossível que esse tipo de acontecimento seja possível. Mas os vultos começam a ser mais persistentes, e Larissa passa a procurar pela casa informações que possam resolver os mistérios que o desconhecido  fantasma(?) passa a lhe trazer. E muito dessa história de vidas passadas, tragédias com escravos, aconteceu ali, embaixo daquele teto, naquela linda fazenda. E essa mistura de realidade e mistério dá um charme a trama, pois o passado é um lugar que todos gostariam de conhecer, por mais doloroso que possa ser. Ainda mais Larissa, que se vê desperta de um sono profundo, e vê nessa chance uma maneira de decidir os rumos de sua vida. 
Paralelo a estes acontecimentos do passado que Larissa passa a desvendar a cada dia, na fazendo de sua avó, com seus parentes todos reunidos há outros embates: seu tio e sua mãe nunca se entenderam, por estarem em lados opostos nos tempos da ditadura. E passar um tempo com a família toda reunida desperta cicatrizes das mais profundas. Muitas cartas são colocadas à mesa e o que era para ser uma simples comemoração de aniversário, passa a ser uma lavagem de roupas familiar tremenda. 

O livro nos traz uma bela pesquisa histórica, cheia de mistérios e dores, de alma e de choro, assim como foi a época da escravidão e da ditadura. Para você que quer saber mais sobre história de uma forma nada enfadonha, pelo contrário, com muita ação e emoção (e porque não, também com um pouco de poesia) recomento ler este livro.



Sinopse:
Quantos mistérios uma antiga fazenda perdida entre as serras das Minas Gerais pode guardar? Mistérios que chegam de forma inesperada, revelando passados diversos a uma família dividida por conflitos afetivos e políticos e ali sitiada por causa das chuvas. É o que Larissa, jovem deslocada entre os seus, descobrirá, em uma estranha jornada na qual perseguirá sombras e segredos para encontrar desejos autênticos e entender os próprios sonhos.
No primeiro romance da consagrada jornalista Míriam Leitão, o leitor não encontra espaço para respirar. É uma história de paixões extremas, sobre tempos extremos, urdida com sutileza e convicção. Uma viagem às vezes em quase delírio pelos flagelos da escravidão, no século XIX, e os subterrâneos do regime militar, no século XX.
A narrativa se passa no século XXI, mas as linhas temporais são rompidas. Assim, as paredes centenárias da fazenda, o cemitério onde eram lançados os negros que chegavam ao cais do porto do Rio de Janeiro à beira da morte, após a travessia do Atlântico, e as celas das prisões arbitrárias promovidas pela ditadura dialogam entre si quase como personagens, na busca por verdades escondidas.
No entremeio, as relações tormentosas entre pais e filhos e entre irmãos tecem uma trama densa e ousada que revisita passados que o Brasil tem preferido deixar acobertados pelo silêncio.
Como ficcionista, Míriam Leitão mantém a mesma postura que marcou sua trajetória de jornalista: não faz perguntas fáceis. Nem abre caminhos para zonas de conforto.
Tempos extremos é a audaciosa estreia de Míriam Leitão como romancista.
Relato envolvente que mescla acontecimentos do presente, do século XIX e da ditadura militar.




:) :,( ;) :D :-/ :? :v X( :7 :-S :(( :* :| :-B ~X( L-) =D7 :-w s2 \m/ :p kk

0 comentário

Postar um comentário