Resenha: Tempo Seco, de Clara Arreguy



Livro: Tempo Seco / Autora: Clara Arreguy / Editora: Geração Editorial 
Gênero: Literatura Brasileira / Páginas: 128 / Ano: 2009


Sobre a experiência de ler este livro: ótima! um livro bem escrito, que te prende, que tem cadência, que trata o cotidiano de forma singela, mas cheia de um conteúdo significativo e transparente. Ler este livro foi como estar bebendo água - mata-se a sede. Um livro que te faz refletir e entender de história e política brasileira nas entrelinhas.


"Razão ou fé? Saber ou não saber? Quanto mais se sabe, mais infeliz se fica. A ignorância, muitas vezes, traz garantias de felicidade, ou pelo menos de, alheia à verdade, a pessoa dormir em paz. Mas será que é ser feliz dormir na alienação e deixar para topar com a dureza dos fatos no fim da linha?" - pág. 36



O livro conta a história de três taxistas, vistos pelos olhos de Miriam, uma mineira que deixou para trás desilusões amorosas e que busca em Brasília uma nova vida. Miriam, já que não tem carro e nem pretende tê-lo aos 40 anos, utiliza táxis para se locomover. É nestas idas e vindas que pega muito amizade com Rodrigues, João e Bené, os taxistas. E tornando-se amiga, acaba por saber de suas histórias, simples, mas carregas de sentimentos, de suas lutas em partidos políticos e movimentos da classe trabalhadora, tendo como pano de fundo a primeira e a segunda candidatura de Lula à presidência. Devo salientar que pouco leio sobre política (e sei que isto é um tremendo erro, mas a paciência para este tema me falta), porém neste livro, a política é tratada de forma nada enfadonha e se encaixa perfeitamente com o enredo proposto pela autora. 


"Quer dizer, então, que eles não sabiam que tinha corrupção no Brasil? Será que só descobriram agora? Ou só agora a imprensa começou a mostrar o que lhe interessa?. Miriam concordava: Só agora os casos sabidos por todos deixaram de ser varridos para debaixo do tapete. Nunca antes se apurou tanta falcatrua, nunca se prendeu tanta gente. Será que é o governo mais corrupto ou o que mais investiga?" - pág. 44. 



Das histórias vividas pelos taxistas, a de Rodrigues foi a mais marcante para mim. Rodrigues que trabalhava em um banco, que tinha sonhos, mas que estava bem em seu canto, que não esqueceu o amor da juventude, se vê de repente com uma nova chance: Dorinha o procurou, depois de ter se metido em uma baita confusão a troco de se dar bem na vida, já com as marcas do tempo no rosto, lhe oferecendo uma companhia para o restante dos dias. Rodrigues aceita e depois do aceite acompanhamos as aventuras e desventuras deste casal que manco segue sobrevivendo (até quando?) de um amor de um lado só. 


"A política não tem que ser necessariamente suja e corrompida, mas pode, ao contrário, ser feita de uma nova maneira, em que a participação dos pobres e dos humildes os defenda dos aproveitadores" - pág. 43.


Tempo Seco é um livro que você tem vontade de devorar, para saber o destino dos personagens. A forma como a escritora o escreve é maravilhosa, tem sonoridade. E o som nas entrelinhas de um bom livro faz toda a diferença. Recomendo muito a leitura! Um livro que me cativou por inteira!





:) :,( ;) :D :-/ :? :v X( :7 :-S :(( :* :| :-B ~X( L-) =D7 :-w s2 \m/ :p kk

0 comentário

Postar um comentário