Resenha - Por que Indiana, João?, de Danilo Leonardi


Livro: Por que Indiana, João?
 Autor (a): Danilo Leonardi
Editora: Giz Editorial / Gênero: Literatura Brasileira / YA
Páginas: 208 / Ano: 2014
Skoob


     Oii Gente! Tudo bem por aí? Hoje trago a resenha do livro Por que Indiana,João? do autor brasileiro Danilo Leonardi, lançado pela Editora Giz Editorial
      E como nossos autores brasileiros estão mandando bem! Como gosto de ler livros de autores nossos! Este aqui me cativou muito! Primeiro devo dizer que gamei nessa capa! - sensacional! Confesso que a capa foi o primeiro motivo que me fez efetuar a compra do livro (amo amarelo, sempre quis ser a Power Ranger Amarela kkkk). E a impressão está impecável, ótima letra para leitura - todos os livros deveriam vir com letras iguais a este livro. 


    Me surpreendi muito com a dinâmica do livro, fiquei realmente presa na leitura. O livro trata de um assunto principal que é o Bullying . Mas também fala sobre adolescência, sobre relacionamento familiar, o que deixou a história bem atrativa no meu ponto de vista. O livro lembra um pouco para quem leu o Extraordinário de R J Palacio, mas neste, nosso protagonista é mais velho, tem 15 anos.  Apesar de ter quinze anos, João ainda sofre com bullying em seu colégio, primeiro por ser meio quieto e tímido - todos o acham esquisito. Inclusive o apelidaram de Uísque - um diminutivo de "o esquisito". Porém, além do bullying psicológico que João sofre, também o cercam de ataques físicos: os valentões da escola colocam sua cabeça na privada frequentemente, somem com seu material escolar, e o intervalo na escola é um martírio - João precisa se esconder diariamente para não acabar apanhando. 


- A minha essência é ter a cabeça enfiada dentro da privada, é ver meus colegas pisando e tirando vantagem de mim! Eu não gosto mais de quem eu costumava ser! Se tem uma coisa que o "filme bobo" me mostrou é que não importa o que pensam de mim, eu posso ser quem eu quiser! 

 

    Mas certo acontecimento acaba mudando um pouco a dinâmica da coisa, quando João resolve sem pensar, dar um tremendo chute nas partes íntimas de Guilherme, seu maior inimigo na escola, quando o mesmo o cerca com seu grupinho de amigos lhe prometendo uma tremenda surra por ter tentado convidar sua namorada para o baile da escola. Desse acontecimento, resultou um vídeo, que o melhor amigo de João gravou e publicou no blog que os dois alimentam e João e seu chute virou sensação nacional. João nem esperava o tamanho da repercussão. Inclusive a impressa começa a procurá-lo, convites surgem para depoimentos em programas de tv e João acaba por conhecer outras pessoas que também sofreram abusos como os seus, muitas vezes por pais desatentos (no caso de João isso é bem evidente, seus pais são separados, a mãe é muito rígida e só quer saber de notas boas e desempenho escolar nas alturas e o pai de João até que é mais descolado, mas pouco presente também), por escolas omissas e que fecham os olhos para os acontecimentos e pelos próprios alunos que se sentem coagidos a pedir ajuda e se prejudicam ainda mais com o sistema. João também conhece uma pessoa fundamental, que vai lhe ajudar a lidar com seus conflitos e problemas, uma garota linda e esperta que também sofre Bullying chamada Julia. Amei a participação dessa garota na história! Muito amorzinho mesmo! 



Acabo de escrever outro poema para ela pelo celular. São três da manhã numa terça-feira, mas eu não podia esperar. De repente, estar vivo é muito contagiante pra eu me limitar ao espaço da minha cama. Só as letras da Legião Urbana me entendem. Tenho escutado muito, porque me peguei atraído pelo carisma do Renato Russo, vocalista, já falecido, mas que parecia ser um esquisitão, tipo eu. 

    Bom, João vai perceber que um vídeo que viralizou na internet tem seu lado bom e ruim. Nada é só sucesso. E o que ele fez com o Guilherme, apesar de revidar aos insultos, também fui um ato de violência. E saber como lidar com o desenrolar dos acontecimentos pega João desprevenido. Como João vai lidar com todos estes sentimentos, só você lendo para saber! Eu particularmente gostei muito da história: lógico que em certos pontos discordei de algumas coisas. Mas basicamente o que o livro tem a nos mostrar é: todos os atos de nossa vida nos trás consequências, boas e ruins. Estamos sempre preparados para lidar com as duas? Leiam também e tirem suas próprias conclusões! :)


A noite estava fria, então ficamos bem colados um no outro. Depois do banho na academia, ela soltou os cabelos e eu notei uma falha enorme do lado direito, mas tentei não fixar o olhar, por educação. Eu sei como é quando tudo o que as pessoas conseguem ver são os seus defeitos, e eu não quero ser uma dessas pessoas. 



Sinopse:
Você pode pensar que, aos quinze anos, João já deveria estar acostumado com provocações, apelidos e humilhações. Afinal, ele é um típico adolescente deslocado e tímido. Alvo perfeito para a ira dos valentões e para o desprezo das garotas.
Mas sua vida muda completamente quando reage a um ataque de seu maior algoz. O golpe de sorte que derruba o valentão é gravado e vira hit na internet.
João se vê finalmente admirado, respeitado e seguro. Mas tudo tem seu preço e João vai aprender qual o peso que suas escolhas podem ter não só sobre sua vida, mas sobre as vidas de todos ao seu redor.
“Por que Indiana, João?” é o livro de estreia de Danilo Leonardi, editor do canal “Cabine Literária” e parte de uma história quase comum para falar sobre algo que não deveria ser tão comum assim e que faz parte da vida de muitos adolescentes, jovens e até de adultos: o bullying.



Resenha: Tudo o que você e eu poderíamos ter sido se não fossemos você e eu, de Albert Espinosa


Livro: Tudo o que você e eu poderíamos ter sido se não fossemos você e eu
 Autor (a): Albert Espinosa
Editora: Verus / Gênero: Literatura Estrangeira
Páginas: 152 / Ano: 2014
Skoob


     Massss genteemmm! Hoje vou trazer a resenha de um livro que estou apaixonada! Sério! Que livro mais sensacional!!! Amei de verdade! A começar pelo título, super longo e que te dá uma curiosidade tremenda né? Hoje a resenha é do livro Tudo o que você e eu poderíamos ter sido se não fossemos você e eu, do autor espanhol Albert Espinosa, publicado pela editora Verus, um dos selos do Grupo Editorial Record



     A julgar pelo título, esperava uma história de amor, entre um casal. Sei lá, pensei nisso quando li. Mas o livro é totalmente doido. Fala sim de amor, mas de uma forma mais ampla. Fala de amor entre pares, de amor puro e singelo entre mãe e filho, de amor ao próximo, de amor no olhar, de amor em forma de sexo, de toque, amor de viver. Nossa, não sei nem como expressar direito! Ele tem suaves nuances de auto-biografia, como se estivéssemos acompanhando a vida de Marcos por seus olhos, como se sua vida nos fosse aberta e apresentada. Um livro extremamente inteligente, que te faz repensar conceitos e pré-conceitos, que te faz ter gosto pela leitura - MAS COMO AMOOO LIVROS INTELIGENTES! Diálogo, história, tudo inteligente demais, *--* gamei *--*. Gente, desculpa, mas quando me empolgo com um livro eu ME EMPOLGO MESMOOO! hahaha.



Mas, depois da notícia que eu havia recebido havia poucos dias, precisava dormir. Desde pequeno, pensava que dormir nos afasta do mundo, nos deixa imunes a seus ataques. As pessoas só podem atacar quem está acordado, com os olhos abertos. Nós, que desaparecemos no meio do sono, somos inofensivos. 

    Falando sobre a história agora, o personagem principal é Marcos. Marcos acaba de perder a mãe, a pessoa que ele mais amava neste mundo. Mas o mais importante - ele perdeu a pessoa que mais "o" amava neste mundo. E como dói essa perda! Como parece que arrancaram um pedaço de seu corpo! E se a gente parar para pensar, perder quem mais nos ama no mundo tem um significado muito, muito profundo. Você sabe que ninguém na face da terra vai te amar mais do que aquela pessoa. E a mãe de Marcos, pelo relato do mesmo, é aquele tipo de pessoa agradável, pra frente, que viveu intensamente e que provocou os que estão ao seu lado para viver também. Um tipo de mãe bem peculiar, devo mencionar, mas que me deixou uma mensagem maravilhosa!



Mas eu não lhe disse que ela era a pessoa a quem eu mais havia amado, e por isso a perdi. Existem muitas coisas que, se ditas em voz alta, revelariam segredos de uma intensidade que talvez não pudéssemos assumir. 
     Outro detalhe do livro é que no mundo em que Marcos vive é permitido que as pessoas tomem uma injeção para que não durmam mais. Essa é a última moda: para quê dormir se você pode aproveitar muito mais a vida estando acordado 24 horas no dia? E Marcos ainda não tinha aderido a esse novo estilo de vida, mas agora com a morte da mãe, já não consegue dormir direito e tem medo de dormir e sonhar com ela, e parece que dormir e sentir essa dor que vem ao anoitecer pela falta dela não convém mais. Marcos estava prestes a tomar essa medicação quando um telefonema muda tudo: seu chefe quase ao amanhecer pede para que Marcos esteja na delegacia de polícia imediatamente. Marcos trabalha com a polícia porque tem um dom: ele consegue ler a mente das pessoas. Ele consegue saber o que de mais terrível uma pessoa fez e o que te mais feliz ela sentiu em vida, em uma escala de 10 acontecimentos. Para a polícia esse dom é crucial na resolução dos casos mais difíceis, por isso contrataram Marcos para ler mentes. Mas seu chefe tem um caso muito mais estranho: encontraram um extraterrestre e precisam do dom de Marcos para verificar se o "ser" realmente é de outro planeta. Marcos de início se assusta: esse tal de extraterrestre é muito parecido com a gente. Devem ter confundido o pobre rapaz! Mas quando Marcos não consegue acessar as memórias do "estranho" e sente que é porque o estranho não deixa que pratique seu dom, percebe que tem sim algo errado com aquele sujeito. E o mais estranho é que o sujeito parece ter o mesmo dom de Marcos: consegue ver suas tristezas, consegue ver apenas no olhar de Marcos que perdeu alguém querido e que Marcos acabou de se apaixonar por uma garota que nem conhece só de vê-la atravessar a praça ao lado de seu apartamento para pegar uma sessão de teatro. Cabe a Marcos querer saber ou não, ajudar ou não e entender ou não de onde aquele pequeno ser veio. Talvez ele seja a chave das respostas de Marcos e o faça entender porque possuí o dom de saber o que há dentro das pessoas. 


Minha mãe sempre me ensinou que não se pode confiar nos que não dizem "sinto muito" ou "desculpe". Ela acreditava que essas expressões deviam ser utilizadas em muitas ocasiões na vida e pronunciadas sem nenhum tipo de medo ou vergonha. 
    Bom, dá pra perceber que a história é meio maluca né? hahaha... mas gente, é um livro extremamente inteligente e sensível. Sabe aquele livro que dá gosto de ler? Que o autor te provoca e provoca o seu intelecto e te faz repensar valores, crenças e pré-conceitos? Um livro que depois que você lê pensa: nossa, fiquei muito mais inteligente com essa leitura! hahah... eu me senti assim. Gosto de livros que agregam, que trazem frases que te deixam matutando por horas. Recomendo muito a leitura para quem quer fugir do lugar comum e se aventurar em um romance peculiar e todo único. Quero ler todos os livros do Espinosa agora! rsrs. 


Sinopse:
Marcos acaba de perder a mãe, uma famosa coreógrafa que lhe ensinou tudo na vida, e decide que seu mundo não pode permanecer o mesmo sem ela. Bem no momento em que vai dar uma guinada na vida, uma ligação muda radicalmente os acontecimentos. 
É a polícia, que precisa da ajuda de Marcos, pois ele tem um dom muito especial: consegue ler as memórias mais importantes de uma pessoa só de olhar para ela. E na delegacia há um “estranho”, um alienígena que acaba de aterrissar na Terra, e que só ele poderá desvendar. Porém Marcos não consegue exercer seu poder sobre esse jovem, que parece conhecê-lo. O estranho sabe que a mãe de Marcos morreu, que ele sente muita falta dela e que não consegue tirar uma certa garota da cabeça. E juntos eles embarcam em uma nova jornada.
Em Tudo que você e eu poderíamos ter sido se não fôssemos você e eu, Albert Espinosa constrói uma história de amor que se estende para além da morte, uma fábula encantadora escrita em seu estilo peculiar, que mescla humor, ternura e verdade.




Correio - Marcadores de Livros




Olá pessoal!
Tudo bem com vocês?

Hoje vou compartilhar mais marcadores lindosss que chegaram pelo correio!
Babandooo na minha compra! Já deu pra perceber que eu gosto de coisas fofas né? hahaha
e se tem relação com livros, maissss que eu gosto ainda! hahah
Estes comprei direto pelo IG no Instagram da @suadesigneria
É um marcador mais lindo que o outro lá minha gente! Convido vocês a darem um pulo lá no insta deles para verificar os marcadores, de muito bom gosto e fofinhos.

Abaixo vou mostrar para vocês os que comprei:
















Espero que tenham gostado da dica!

Um ótimo dia pra vocês! 
bjo, bjo!


Resenha - Gelo Negro, de Becca Fitzpatrick


Livro: Gelo Negro / Autor (a): Becca Fitzpatrick
Editora: Intrínseca / Gênero: YA / Suspense e Mistério
Páginas: 304 / Ano: 2015
Skoob

      Olá pessoal! tudo bem com vocês? Hoje vou trazer para vocês a resenha do livro Gelo Negro, da Becca Fitzpatrick, publicado pela editora Intrínseca. Confesso que essa capa me chamou muito a atenção. Não tinha lido nenhuma resenha dele antes de comprar o e-book (comprei em uma promoção no Amazon). Não sabia muito o que esperar do livro, mas pela capa, suspeita-se que seja um suspense. Eu gosto muito de suspenses e livros policiais, mas gosto que sejam realmente bons, que te deixem realmente presa, com a pulga atrás da orelha. 


Ele não queria tirar fotos. Queria matá-la. Ela não iria deixar aquele lugar horrível ser sua última lembrança. Fechou bem os olhos e se deixou levar escuridão adentro". 

     No começo do livro, logo nas primeiras páginas, acontece uma situação realmente tensa, como uma abertura, meio que te preparando para o que está por vir. Porém depois destas cinco, seis primeiras páginas achei que o livro ficou meio travado. Porque começou a contar sobre os preparativos de Britt, a personagem principal do livro, para uma trilha em suas férias na Cordilheira Teton. Britt é jovem, meio mimada e tem uma melhor amiga, Korbie (que mais parece uma pior amiga, sério, o relacionamento delas é muito estranho. Eu não desejaria nunca ter uma amizade como as duas tem. Parece uma amizade doentia). Tem um ex que aparece na história também, Calvin, que é irmão de Korbie. Calvin é o ex de Britt e rola um lance entre eles no começo do livro que achei meio desnecessária também. 


     Bom, a coisa começa a melhorar quando Britt e Korbie resolvem sair sozinhas para encontrarem Calvin e o Urso (namorado de Korbie) na cabana da família de Korbie para tratarem dos detalhes da trilha que farão, já que os pais de Korbie não deixaram as duas garotas irem sozinhas para essa expedição maluca. No caminho, uma forte nevasca atrapalha a pista, as meninas precisam parar o carro no meio da rodovia e procurar por um lugar no meio da floresta para ficarem durante a noite e se aquecerem. Encontram depois de mais de uma hora de caminhada uma cabana com as luzes acessas. Batem à porta e dois rapazes aparecem. Um deles inclusive é Mason, um cara que salvou a pele de Britt mais cedo em um posto de gasolina quando ela contava uma pequena mentirinha para o seu ex. Porém Mason não parece o mesmo cara. Quase não deixou as duas entrarem na cabana, e as garotas só conseguiram ficar porque Shaun, o outro cara permitiu que elas entrassem. 

     Sério - eu nunca, nunquinha na minha vida entraria em uma cabana, solitária na floresta, com dois caras dentro que eu nem ao menos conhecia. Massss... as garotas fizeram isso. E no começo parecia que a coisa ia rolar, que estavam todos conversando amistosamente, mas de repente o tal do Shaun sacou uma arma e obrigou as garotas a cederem seus equipamentos de neve que estavam todos ajeitados no carro e fez das duas reféns, com a promessa que as libertaria somente quando os conduzissem para fora da floresta por trilhas escondidas o suficiente pra que não fossem vistos. Shaun fez isso depois de Britt dar com  língua nos dentes e dizer que estava preparada para fazer trilhas ali nas montanhas e que conhecia o lugar (tava na cara que tinha algo podre ai né? hahaha). Como Britt se preparou para as trilhas e verificou caminhos durante vários meses antes de se arriscar nesta aventura, tinha a sensação de que poderia salvar a sua pele e de Korbie, mas precisava ser esperta. Britt não iria morrer, nem deixar a amiga morrer, faria de tudo para tirar as duas dessa enrascada.


     O livro é cheio de reviravoltas, momentos mais tensos, outros mais lentos e enrolados, mentiras e segredos descobertos, foi uma leitura diferente, uma experiência que gostei. Achei que a autora só pecou um pouco em deixar as duas adolescentes possuírem características tão mimadas - isso tornou o enredo meio chato na minha opinião - geralmente gosto de personagens mais maduros que não ficam pensando a todo momento nos carinhas com quem estão saindo, no charme que precisam jogar para serem notadas, essas coisas meio vazias sabe? Mas os mistérios do livro e as reviravoltas foram realmente muito boas. O final do livro foi fofo, mas será que condizente? Fiquei com minhas dúvidas hahah... Só esperava algo mais dark, mais adulto, pela capa do livro. Estava me preparando para um mega suspense e acabei lendo meio suspense rsrs. Mas valeu sim a leitura e recomendo o livro para que tirem suas próprias conclusões - afinal, é nisso que está a beleza no mundo dos livros! ;)



Se soubesse que as coisas acabariam assim, eu teria treinado mais. Eu teria aprendido a cuidar de mim mesma. Mas acho que essa é a questão, não é mesmo? Você nunca sabe o que terá que enfrentar, então é melhor estar preparado.


Sinopse:
Britt Pfeiffer passou meses se preparando para uma trilha na Cordilheira Teton, um lugar cheio de mistérios. Antes mesmo de chegar à cabana nas montanhas, ela e a melhor amiga, Korbie, enfrentam uma nevasca avassaladora e são obrigadas a abandonar o carro e procurar ajuda. As duas acabam sendo acolhidas por dois homens atraentes e imaginam que estão em segurança.
Os homens, porém, são criminosos foragidos e as fazem reféns. Para sobreviver, Britt precisará enfrentar o frio e a neve para guiar os sequestradores para fora das montanhas. Durante a arriscada jornada em meio à natureza selvagem, um homem se mostra mais um aliado do que um inimigo, e Britt acaba se deixando envolver. Será que ela pode confiar nele? Sua vida dependerá dessa resposta.



Resenha - Veneno, de Sarah Pinborough


Livro: Veneno / Autor (a): Sarah Pinborough
Editora: Única / Gênero: Fantasia / Literatura Estrangeira
Páginas: 224 / Ano: 2013
1º livro da Saga Encantadas
Skoob

     Hoje a resenha que trago para vocês é do livro Veneno, escrito pela autora Sarah Pinborough. Publicado pelo selo Única, um dos selos da Editora Gente, Veneno é o primeiro livro da série de 3 que reconta (de uma forma meio estranha hauhau) contos de fadas conhecidos. 




     A boca quente dela tinha gosto de maçãs recém-colhidas em um pomar. Aquilo não era amor, ele sabia, não havia nenhum toque disso no encontro de seus lábios, mas era um alívio de que ambos necessitam. O corpo dele latejava. 

     Neste livro vamos ler de uma forma distorcida o conto de fadas da Branca de Neve. E alguém me ajuda aqui e me diz se os outros dois livros da série melhoram, porque este livro em particular não me agradou muito. Eu não gosto de falar mal dos livros que leio, sempre procuro ressaltar pontos positivos. Penso que a autora tinha o plano de nos mostrar uma história diferente da Branca de Neve, de que a Rainha Má pode ser má por algum motivo, que o príncipe pode ser na verdade um machista ciumento, possessivo e mal caráter, e que a princesa pode ser tudo menos delicada e feminina. Ok, são idéias legais - mas parece que no final a autora não quis se aventurar muito no lado sombrio da coisa. Ficou realmente sombrio no final somente. Eu me sentia assim: ora lendo um conto de fadas, ora lendo um conto de horrores. Eu esperava que fosse mais um conto de horrores hahah... vamos mostrar o lado sombrio de tudo. Daí fiquei com essa sensação de nem lá, nem cá. Me incomodei muito pelo o príncipe apresentar uma face tão machista e mesquinha... tive um imenso ódio desse personagem hahah... mas em nosso mundo real quantos homens também não são assim: buscando sua princesa calada, boazinha, perfeita e pura. E quando percebe que Branca de Neve não é nada disso toma providências. Isso não me assombra. De jeito nenhum. Mas ler sobre isso, pelo menos pra mim, dá uma sensação ruim! Fiquei meio pra baixo ao terminar o livro, sabe? 

     Daí você me pergunta: "Ô Michelle, viu, que mundo você vive? Acha que tudo é final feliz e conto de fadas?", lógico que não! Sei que não é assim. Mas gosto de finais felizes ou de livros que me deixem com uma sensação boa mesmo aos prantos. Eu estava preparada para uma história forte, mas não uma história que pipocava entre o doce dos contos de fadas, e o duro e frio mundo real. Fiquei meio vacilante na leitura, não sei se estou me expressando corretamente. Mas foi assim que me senti. 

    Mas devo ressaltar também que a edição é toda linda. Letras fáceis de ler - adoro livros assim; alguns desenhos emoldurando as páginas por dentro, e a história me prendeu sim, até o final! Sempre levo algo de bom dos livros que leio, então vou eleger a Branca de Neve fora dos padrões como minha personagem favorita e também os anões, que lhe prestaram muita lealdade. 

A antiga rainha e sua filha tinham o amor do povo. Ela teria seu medo. Era uma emoção mais dura. Enquanto se virava, sentiu uma leve pontada no peito e se perguntou despreocupadamente se não seria uma pequena parte de seu coração ficando negro e endurecido. Que bom!, pensou. Quanto antes, melhor. 

     Como ainda tenho os outros dois livros da saga para ler, espero me impressionar mais do que este primeiro. Então espero a dica de vocês, para me dizerem se posso continuar a saga sem medo de ser feliz! hahah opiniões iguais e contrárias também são bem vindas, afinal cada livro é uma surpresa e se revela de forma diferente para cada tipo de leitor!

     Beijo, beijo e vejo vocês na próxima resenha!


Sinopse:
Sexy, sarcástico e de prender a respiração! Para os fãs de Once Upon a Time e Grimm, Veneno é a prova de que contos de fadas são para adultos!
Não existe Felizes para sempre! Você já pensou que uma rainha má tem seus motivos para agir como tal? E que princesas podem ser extremamente mimadas? E que príncipes não são encantados e reinos distantes também têm problemas reais? Então este livro é para você! Em Veneno, a autora Sarah Pinborough reconta a história de Branca de Neve de maneira sarcástica, madura e sem rodeios. Todos os personagens que nos cativaram por anos estão lá, mas seriam eles tão tolos quanto aparentam? Acompanhe a história de Branca de Neve e seu embate com a Rainha, sua madrasta. Você vai entender por que nem todos são só bons ou maus e que talvez o que seria um final feliz pode se tornar o pior dos pesadelos!

Veneno é o primeiro livro da trilogia Encantadas, e já é um best-seller inglês. Sarah Pinborough coloca os contos de fadas de ponta-cabeça e narra histórias surpreendentes que a Disney jamais ousaria contar. Com um realismo cínico e cenas fortes, o leitor será levado a questionar, finalmente, quem são os mocinhos e quem são os vilões dos livros de fantasia!
Palavra da editora:
Veneno é um livro tenro como uma maçã envenenada. Belo como os vilões costumam ser. Sarcástico como príncipes mimados. E sem finais felizes porque já estamos bastante crescidinhos! (E, ainda assim, é um dos finais mais chocantes da ficção atual!). Para fãs de séries de TV e histórias picantes e divertidas, Veneno é puro entretenimento! - Mariana Rolier.






Resenha - Entre o Sol e a Lua, de Ana Ferrarezzi


Livro: Entre o Sol e a Lua / Autor (a): Ana Ferrarezzi
Editora: Novo Século / Gênero: Fantasia / Romance Brasileiro
Páginas: 520 / Ano: 2016
1º livro da série Esmeralda
Skoob



     Olá pessoal!
     Tudo bem com vocês? 
     Hoje vou trazer a resenha do livro Entre o Sol e a Lua, livro recebido em parceria com a escritora brasileira Ana Ferrarezzi, publicado pela editora Novo Século
     A capa do livro é linda! Assim que recebi fiquei toda emocionada. Sabe aquele tipo de capa que mexe com você? Pois então - capa é tudo no livro minha gente - sim, vou muito pela aparência do livro, pelas cores, pelas letras se são fácil de ler ou não, e este livro as letras são de um tamanho ótimo para leitura, páginas mais amareladas que facilitam também e com capítulos curtos, que na minha opinião deixam a leitura mais dinâmica. Geralmente gosto de capítulos mais curtos, para poder fazer aquela pausa e tal - mania de leitor de só parar de ler quando o capítulo termina hahaha - *toca aqui!* rsrs

     Bom, então vamos para o que interessa: a história. Você gosta de mistérios? Gosta de romance? Gosta daquele livro que traz elementos pertinentes á nossa cultura, aos nossos costumes e lendas? Pois este é o livro certo! Confesso que é um livro totalmente diferente do que já li, diferente do que já li da maioria dos autores brasileiros. Porque a Ana Ferrarezzi traz uma história toda detalhada de nossas raízes folclóricas, de elementos como Sol, Lua, Terra, Ar. O livro é todo inspirado em lendas folclóricas e mitologias indígenas. Daí lendo não pude deixar de associar e me remeter a lembranças de minha infância. Na escola estudávamos tanto essas nossas raízes indígenas e folclóricas e eu lembro que eram estudos tão mágicos e produtivos! Acredito que nós brasileiros vamos perdendo muito disso pelo caminho e quando adultos pouco se fala do assunto. Ler este livro me deixou saudosa, com vontade de voltar a essa época, de recordar elementos. 

     Já nas primeiras páginas a autora nos presenteia com explicações sobre as entidades do Sol, Lua, Terra que serão pertinentes para a leitura do livro. Essas páginas já me fisgaram no começo. Fiquei bem entusiasmada com o que seria apresentado.



Uauiara era uma entidade que se incumbia de cuidar dos peixes. Além disso, era extremamente impulsivo, um amante formidável e incapaz de se controlar diante da formosura feminina. Como se a natureza fosse uma mulher vaidosa e quisesse retribuir sua admiração, presenteou-o com um dom especial de persuadir e manipular o desejo. Um sedutor irresistível, um bruxo que manipulava sentimentos, ele utilizava seu poder de galanteador para persuadir mulheres e possuí-las. Uauiara era descuidado. Ele tinha uma maneira peculiar de seduzir com seu olhar que as penetrava profundamente. Jaci não teria qualquer chance ao lado dele. 


    E não me decepcionei com a história, que gira praticamente em torno de duas entidades: Jaci, a entidade Lua que renasce como Joana em nosso plano e Cauã, que é na verdade Guaraci, a entidade Sol. As entidades escolhem renascerem humanas de tempos em tempos para poderem viver como nós, para poderem se tocar, conviver, se apaixonar e sentir o que nós humanos sentimos. 



     Mas Joana ainda não sabe que renasceu como Lua. Ela sente coisas estranhas e alguns acontecimentos a levam a desconfiar de algo. Mas só compreende o que realmente significa sua existência quando Cauã resolve lhe contar que é seu amor milenar e que faz mais de 500 anos que se separaram e que só agora se reencontraram. Na verdade Jaci, que nesta vida tem como nome Joana escolheu viver reclusa por ter traído seu grande amor e por precisar de espaço em sua existência para repensar seus valores. Mas quando as outras entidades envolvidas e amigas de Cauã notam a presença de Jaci como Joana, já bolam um plano para atrair a moça até próximo deles, para que fique sob sua proteção.

    Joana então que vivia no interior de São Paulo precisa mudar de ares e manda seu currículo para uma empresa multinacional do Rio de Janeiro chamada Assendent. Lá trabalham as outras entidades, que se estabeleceram no corpo de humanos e já logo que Joana coloca os pés nessa empresa para uma entrevista é notada. É chamada para trabalhar nessa empresa então e é assim que conhece Cauã e o restante das entidades, que a recepcionam de forma muito calorosa e estranha aos olhos de Joana no início. Cauã é o presidente da multinacional e não vê a hora de conseguir acertar as coisas com Joana e lhe explicar que durante todos esses anos o seu amor só aumentou. Mas há uma coisa errada: Cauã não consegue tocar em Joana. Joana recebeu um encanto que não permite o contato de Cauã e a tarefa de reconquistá-la começa a parecer mais árdua agora. 

     Todas as outras entidades que se fizeram terrenas acabam sendo notificadas da volta de Joana. Sentem sua presença. Mas sua falta de memória e esse impedimento de ser tocada por seu maior amor é visto como fragilidade pelas outras entidades, que prezam pelo devido funcionamento de todo o sistema - e Cauã é a força suprema, já que é o Sol. Se o Sol não está bem, que dirá as outras entidades? Como irão funcionar corretamente? As entidades começam a duvidar da capacidade de Cauã reger o sistema solar e fazê-lo funcionar, já que está abalado pela aparição de Joana, por sua falta de memória e pelos sentimentos todos que esta experiência está lhe trazendo. Cauã agora que conseguiu reencontrar sua metade, já não pode viver sem Joana. É aí que os conflitos começam a surgir e amizades postas à prova. Mistérios e magia, folclore e cultura indígena, sistema solar e espaço - tudo misturado em um livro só. E romance, muito romance - aquele tipo de romance arrebatador, quente, um tipo de amor que supera tempo e vidas, que está além da nossa compreensão. 



    Além de Cauã e Joana, outros personagens foram muito marcantes na trama para mim, como o Cristiano, entidade Uauiara (ou boto-cor-de-rosa), um ser totalmente libertino, lindo e sedutor, Alcinoe uma outra entidade que também teve papel fundamental e Gabriel e Lina, Lina inclusive responsável de revelar para Joana muitos dos segredos que permeavam suas histórias. 



Eram dez e quinze quando Cauã saiu do hotel. Ele estava tão feliz que decidiu andar um pouco para gastar energia. Há pouco tempo, Joana havia lhe roubado um beijo. Seus lábios se uniram com aquela fome que só um amor milenar, ou uma grande abstinência provoca. Um momento de ostensiva riqueza, interrompida subitamente pela perda dos sentidos de Joana. 


     Este é o primeiro livro de quatro da série Esmeralda, e te convida a fazer uma viagem sem volta às raízes do nosso Brasil. Recomendo a leitura!


Para quem quiser saber um pouco mais do livro, 
clique aqui e leia o primeiro capítulo >> Entre o Sol e a Lua <<

Quer saber mais sobre a autora e seus outros títulos?
Clique aqui >> Ana Ferrarezzi << 


Sinopse:
Joana cresceu em uma cidade no interior de São Paulo e, para dar um novo rumo à sua tumultuada vida, aceita um emprego em uma multinacional no Rio de Janeiro. Enquanto ela enfrenta os desafios desta nova fase, Cauã – entidade do Sol – a reencontra e a reconhece como o amor milenar dele. Joana não tem conhecimento de que é a personificação de uma importante entidade milenar, representada pela Lua, tampouco tem ideia de que agora faz parte de uma perigosa batalha entre entidades indígenas e de que irá se deparar com inimigos inimagináveis. Surge entre eles uma paixão sem limites. No entanto, Cauã precisará unir forças para proteger a sua amada. E quebrar o encantamento que o impede de estar ao lado dela. Afinal, se o Sol precisa de Cauã para existir, ele precisa de Joana para viver. Num enredo intrigante e mágico, Entre o Sol e a Lua dá vida a personagens míticos e à encantadoras lendas, parte do folclore brasileiro ainda pouco explorado: a mitologia tupi-guarani. 



Novidade - Cadernetas personalizadas


Olá pessoas! tudo legal por aí?
Espero que sim!

Hoje vou trazer para vocês uma mega novidade! Uma amiga minha, a Sabrina Braga, lançou uma linha de cadernetas com frases, frases dela mesma, superrrr fofaaaaas! E estou aqui para divulgar o trabalho. Para nós que gostamos de livros, frases e fofuras, é a caderneta certa! rsrs além de livros eu amo itens de papelaria. E tô aqui pensando em qual cor gostei mais de caderneta - ainda não decidi! hahaha!
Puro amor! 

Então para quem quiser 
dar uma conferida no trabalho é só acessar >> CADERNETA CRAFT