Resenha - Entre o Sol e a Lua, de Ana Ferrarezzi


Livro: Entre o Sol e a Lua / Autor (a): Ana Ferrarezzi
Editora: Novo Século / Gênero: Fantasia / Romance Brasileiro
Páginas: 520 / Ano: 2016
1º livro da série Esmeralda
Skoob



     Olá pessoal!
     Tudo bem com vocês? 
     Hoje vou trazer a resenha do livro Entre o Sol e a Lua, livro recebido em parceria com a escritora brasileira Ana Ferrarezzi, publicado pela editora Novo Século
     A capa do livro é linda! Assim que recebi fiquei toda emocionada. Sabe aquele tipo de capa que mexe com você? Pois então - capa é tudo no livro minha gente - sim, vou muito pela aparência do livro, pelas cores, pelas letras se são fácil de ler ou não, e este livro as letras são de um tamanho ótimo para leitura, páginas mais amareladas que facilitam também e com capítulos curtos, que na minha opinião deixam a leitura mais dinâmica. Geralmente gosto de capítulos mais curtos, para poder fazer aquela pausa e tal - mania de leitor de só parar de ler quando o capítulo termina hahaha - *toca aqui!* rsrs

     Bom, então vamos para o que interessa: a história. Você gosta de mistérios? Gosta de romance? Gosta daquele livro que traz elementos pertinentes á nossa cultura, aos nossos costumes e lendas? Pois este é o livro certo! Confesso que é um livro totalmente diferente do que já li, diferente do que já li da maioria dos autores brasileiros. Porque a Ana Ferrarezzi traz uma história toda detalhada de nossas raízes folclóricas, de elementos como Sol, Lua, Terra, Ar. O livro é todo inspirado em lendas folclóricas e mitologias indígenas. Daí lendo não pude deixar de associar e me remeter a lembranças de minha infância. Na escola estudávamos tanto essas nossas raízes indígenas e folclóricas e eu lembro que eram estudos tão mágicos e produtivos! Acredito que nós brasileiros vamos perdendo muito disso pelo caminho e quando adultos pouco se fala do assunto. Ler este livro me deixou saudosa, com vontade de voltar a essa época, de recordar elementos. 

     Já nas primeiras páginas a autora nos presenteia com explicações sobre as entidades do Sol, Lua, Terra que serão pertinentes para a leitura do livro. Essas páginas já me fisgaram no começo. Fiquei bem entusiasmada com o que seria apresentado.



Uauiara era uma entidade que se incumbia de cuidar dos peixes. Além disso, era extremamente impulsivo, um amante formidável e incapaz de se controlar diante da formosura feminina. Como se a natureza fosse uma mulher vaidosa e quisesse retribuir sua admiração, presenteou-o com um dom especial de persuadir e manipular o desejo. Um sedutor irresistível, um bruxo que manipulava sentimentos, ele utilizava seu poder de galanteador para persuadir mulheres e possuí-las. Uauiara era descuidado. Ele tinha uma maneira peculiar de seduzir com seu olhar que as penetrava profundamente. Jaci não teria qualquer chance ao lado dele. 


    E não me decepcionei com a história, que gira praticamente em torno de duas entidades: Jaci, a entidade Lua que renasce como Joana em nosso plano e Cauã, que é na verdade Guaraci, a entidade Sol. As entidades escolhem renascerem humanas de tempos em tempos para poderem viver como nós, para poderem se tocar, conviver, se apaixonar e sentir o que nós humanos sentimos. 



     Mas Joana ainda não sabe que renasceu como Lua. Ela sente coisas estranhas e alguns acontecimentos a levam a desconfiar de algo. Mas só compreende o que realmente significa sua existência quando Cauã resolve lhe contar que é seu amor milenar e que faz mais de 500 anos que se separaram e que só agora se reencontraram. Na verdade Jaci, que nesta vida tem como nome Joana escolheu viver reclusa por ter traído seu grande amor e por precisar de espaço em sua existência para repensar seus valores. Mas quando as outras entidades envolvidas e amigas de Cauã notam a presença de Jaci como Joana, já bolam um plano para atrair a moça até próximo deles, para que fique sob sua proteção.

    Joana então que vivia no interior de São Paulo precisa mudar de ares e manda seu currículo para uma empresa multinacional do Rio de Janeiro chamada Assendent. Lá trabalham as outras entidades, que se estabeleceram no corpo de humanos e já logo que Joana coloca os pés nessa empresa para uma entrevista é notada. É chamada para trabalhar nessa empresa então e é assim que conhece Cauã e o restante das entidades, que a recepcionam de forma muito calorosa e estranha aos olhos de Joana no início. Cauã é o presidente da multinacional e não vê a hora de conseguir acertar as coisas com Joana e lhe explicar que durante todos esses anos o seu amor só aumentou. Mas há uma coisa errada: Cauã não consegue tocar em Joana. Joana recebeu um encanto que não permite o contato de Cauã e a tarefa de reconquistá-la começa a parecer mais árdua agora. 

     Todas as outras entidades que se fizeram terrenas acabam sendo notificadas da volta de Joana. Sentem sua presença. Mas sua falta de memória e esse impedimento de ser tocada por seu maior amor é visto como fragilidade pelas outras entidades, que prezam pelo devido funcionamento de todo o sistema - e Cauã é a força suprema, já que é o Sol. Se o Sol não está bem, que dirá as outras entidades? Como irão funcionar corretamente? As entidades começam a duvidar da capacidade de Cauã reger o sistema solar e fazê-lo funcionar, já que está abalado pela aparição de Joana, por sua falta de memória e pelos sentimentos todos que esta experiência está lhe trazendo. Cauã agora que conseguiu reencontrar sua metade, já não pode viver sem Joana. É aí que os conflitos começam a surgir e amizades postas à prova. Mistérios e magia, folclore e cultura indígena, sistema solar e espaço - tudo misturado em um livro só. E romance, muito romance - aquele tipo de romance arrebatador, quente, um tipo de amor que supera tempo e vidas, que está além da nossa compreensão. 



    Além de Cauã e Joana, outros personagens foram muito marcantes na trama para mim, como o Cristiano, entidade Uauiara (ou boto-cor-de-rosa), um ser totalmente libertino, lindo e sedutor, Alcinoe uma outra entidade que também teve papel fundamental e Gabriel e Lina, Lina inclusive responsável de revelar para Joana muitos dos segredos que permeavam suas histórias. 



Eram dez e quinze quando Cauã saiu do hotel. Ele estava tão feliz que decidiu andar um pouco para gastar energia. Há pouco tempo, Joana havia lhe roubado um beijo. Seus lábios se uniram com aquela fome que só um amor milenar, ou uma grande abstinência provoca. Um momento de ostensiva riqueza, interrompida subitamente pela perda dos sentidos de Joana. 


     Este é o primeiro livro de quatro da série Esmeralda, e te convida a fazer uma viagem sem volta às raízes do nosso Brasil. Recomendo a leitura!


Para quem quiser saber um pouco mais do livro, 
clique aqui e leia o primeiro capítulo >> Entre o Sol e a Lua <<

Quer saber mais sobre a autora e seus outros títulos?
Clique aqui >> Ana Ferrarezzi << 


Sinopse:
Joana cresceu em uma cidade no interior de São Paulo e, para dar um novo rumo à sua tumultuada vida, aceita um emprego em uma multinacional no Rio de Janeiro. Enquanto ela enfrenta os desafios desta nova fase, Cauã – entidade do Sol – a reencontra e a reconhece como o amor milenar dele. Joana não tem conhecimento de que é a personificação de uma importante entidade milenar, representada pela Lua, tampouco tem ideia de que agora faz parte de uma perigosa batalha entre entidades indígenas e de que irá se deparar com inimigos inimagináveis. Surge entre eles uma paixão sem limites. No entanto, Cauã precisará unir forças para proteger a sua amada. E quebrar o encantamento que o impede de estar ao lado dela. Afinal, se o Sol precisa de Cauã para existir, ele precisa de Joana para viver. Num enredo intrigante e mágico, Entre o Sol e a Lua dá vida a personagens míticos e à encantadoras lendas, parte do folclore brasileiro ainda pouco explorado: a mitologia tupi-guarani. 



:) :,( ;) :D :-/ :? :v X( :7 :-S :(( :* :| :-B ~X( L-) =D7 :-w s2 \m/ :p kk

0 comentário

Postar um comentário