Resenha: Tudo o que você e eu poderíamos ter sido se não fossemos você e eu, de Albert Espinosa


Livro: Tudo o que você e eu poderíamos ter sido se não fossemos você e eu
 Autor (a): Albert Espinosa
Editora: Verus / Gênero: Literatura Estrangeira
Páginas: 152 / Ano: 2014
Skoob


     Massss genteemmm! Hoje vou trazer a resenha de um livro que estou apaixonada! Sério! Que livro mais sensacional!!! Amei de verdade! A começar pelo título, super longo e que te dá uma curiosidade tremenda né? Hoje a resenha é do livro Tudo o que você e eu poderíamos ter sido se não fossemos você e eu, do autor espanhol Albert Espinosa, publicado pela editora Verus, um dos selos do Grupo Editorial Record



     A julgar pelo título, esperava uma história de amor, entre um casal. Sei lá, pensei nisso quando li. Mas o livro é totalmente doido. Fala sim de amor, mas de uma forma mais ampla. Fala de amor entre pares, de amor puro e singelo entre mãe e filho, de amor ao próximo, de amor no olhar, de amor em forma de sexo, de toque, amor de viver. Nossa, não sei nem como expressar direito! Ele tem suaves nuances de auto-biografia, como se estivéssemos acompanhando a vida de Marcos por seus olhos, como se sua vida nos fosse aberta e apresentada. Um livro extremamente inteligente, que te faz repensar conceitos e pré-conceitos, que te faz ter gosto pela leitura - MAS COMO AMOOO LIVROS INTELIGENTES! Diálogo, história, tudo inteligente demais, *--* gamei *--*. Gente, desculpa, mas quando me empolgo com um livro eu ME EMPOLGO MESMOOO! hahaha.



Mas, depois da notícia que eu havia recebido havia poucos dias, precisava dormir. Desde pequeno, pensava que dormir nos afasta do mundo, nos deixa imunes a seus ataques. As pessoas só podem atacar quem está acordado, com os olhos abertos. Nós, que desaparecemos no meio do sono, somos inofensivos. 

    Falando sobre a história agora, o personagem principal é Marcos. Marcos acaba de perder a mãe, a pessoa que ele mais amava neste mundo. Mas o mais importante - ele perdeu a pessoa que mais "o" amava neste mundo. E como dói essa perda! Como parece que arrancaram um pedaço de seu corpo! E se a gente parar para pensar, perder quem mais nos ama no mundo tem um significado muito, muito profundo. Você sabe que ninguém na face da terra vai te amar mais do que aquela pessoa. E a mãe de Marcos, pelo relato do mesmo, é aquele tipo de pessoa agradável, pra frente, que viveu intensamente e que provocou os que estão ao seu lado para viver também. Um tipo de mãe bem peculiar, devo mencionar, mas que me deixou uma mensagem maravilhosa!



Mas eu não lhe disse que ela era a pessoa a quem eu mais havia amado, e por isso a perdi. Existem muitas coisas que, se ditas em voz alta, revelariam segredos de uma intensidade que talvez não pudéssemos assumir. 
     Outro detalhe do livro é que no mundo em que Marcos vive é permitido que as pessoas tomem uma injeção para que não durmam mais. Essa é a última moda: para quê dormir se você pode aproveitar muito mais a vida estando acordado 24 horas no dia? E Marcos ainda não tinha aderido a esse novo estilo de vida, mas agora com a morte da mãe, já não consegue dormir direito e tem medo de dormir e sonhar com ela, e parece que dormir e sentir essa dor que vem ao anoitecer pela falta dela não convém mais. Marcos estava prestes a tomar essa medicação quando um telefonema muda tudo: seu chefe quase ao amanhecer pede para que Marcos esteja na delegacia de polícia imediatamente. Marcos trabalha com a polícia porque tem um dom: ele consegue ler a mente das pessoas. Ele consegue saber o que de mais terrível uma pessoa fez e o que te mais feliz ela sentiu em vida, em uma escala de 10 acontecimentos. Para a polícia esse dom é crucial na resolução dos casos mais difíceis, por isso contrataram Marcos para ler mentes. Mas seu chefe tem um caso muito mais estranho: encontraram um extraterrestre e precisam do dom de Marcos para verificar se o "ser" realmente é de outro planeta. Marcos de início se assusta: esse tal de extraterrestre é muito parecido com a gente. Devem ter confundido o pobre rapaz! Mas quando Marcos não consegue acessar as memórias do "estranho" e sente que é porque o estranho não deixa que pratique seu dom, percebe que tem sim algo errado com aquele sujeito. E o mais estranho é que o sujeito parece ter o mesmo dom de Marcos: consegue ver suas tristezas, consegue ver apenas no olhar de Marcos que perdeu alguém querido e que Marcos acabou de se apaixonar por uma garota que nem conhece só de vê-la atravessar a praça ao lado de seu apartamento para pegar uma sessão de teatro. Cabe a Marcos querer saber ou não, ajudar ou não e entender ou não de onde aquele pequeno ser veio. Talvez ele seja a chave das respostas de Marcos e o faça entender porque possuí o dom de saber o que há dentro das pessoas. 


Minha mãe sempre me ensinou que não se pode confiar nos que não dizem "sinto muito" ou "desculpe". Ela acreditava que essas expressões deviam ser utilizadas em muitas ocasiões na vida e pronunciadas sem nenhum tipo de medo ou vergonha. 
    Bom, dá pra perceber que a história é meio maluca né? hahaha... mas gente, é um livro extremamente inteligente e sensível. Sabe aquele livro que dá gosto de ler? Que o autor te provoca e provoca o seu intelecto e te faz repensar valores, crenças e pré-conceitos? Um livro que depois que você lê pensa: nossa, fiquei muito mais inteligente com essa leitura! hahah... eu me senti assim. Gosto de livros que agregam, que trazem frases que te deixam matutando por horas. Recomendo muito a leitura para quem quer fugir do lugar comum e se aventurar em um romance peculiar e todo único. Quero ler todos os livros do Espinosa agora! rsrs. 


Sinopse:
Marcos acaba de perder a mãe, uma famosa coreógrafa que lhe ensinou tudo na vida, e decide que seu mundo não pode permanecer o mesmo sem ela. Bem no momento em que vai dar uma guinada na vida, uma ligação muda radicalmente os acontecimentos. 
É a polícia, que precisa da ajuda de Marcos, pois ele tem um dom muito especial: consegue ler as memórias mais importantes de uma pessoa só de olhar para ela. E na delegacia há um “estranho”, um alienígena que acaba de aterrissar na Terra, e que só ele poderá desvendar. Porém Marcos não consegue exercer seu poder sobre esse jovem, que parece conhecê-lo. O estranho sabe que a mãe de Marcos morreu, que ele sente muita falta dela e que não consegue tirar uma certa garota da cabeça. E juntos eles embarcam em uma nova jornada.
Em Tudo que você e eu poderíamos ter sido se não fôssemos você e eu, Albert Espinosa constrói uma história de amor que se estende para além da morte, uma fábula encantadora escrita em seu estilo peculiar, que mescla humor, ternura e verdade.




:) :,( ;) :D :-/ :? :v X( :7 :-S :(( :* :| :-B ~X( L-) =D7 :-w s2 \m/ :p kk

0 comentário

Postar um comentário