Resenha : As Flores do Mal, de Charles Baudelaire


Livro: As Flores do Mal
 Autor (a): Charles Baudelaire
Editora: Martin Claret / Gênero: Poesia
Páginas: 256 / Ano: 2012
Skoob

Olha a resenha! Hoje a resenha que trago é do livro de Charles Baudelaire, publicado pela editora Martin Claret, intitulado As Flores do Mal. Gente, sério, o livro já te arrepia com esse título não é mesmo? rsrs. A edição da Martin Claret está linda! Letras ótimas de serem lidas, tradução ótima também - deve ser muito difícil traduzir poemas - e a capa está maravilhosa!


 

O livro foi publicado pela primeira vez no ano de 1857. Baudelaire é um clássico da literatura Francesa, considerado um dos mais importantes nomes de todos os tempos. Logo jovem, Baudelaire perdeu o pai, e sua mãe se casou novamente com um general, o comandante Aupick, com quem não tinha bom relacionamento. 


Estudando um pouco mais da vida do autor, pude observar que ele era aquele tipo que gostava de festas e de levar a vida despreocupadamente. Muitos revelam que viveu uma vida bastante mundana. E fica bem claro em seus poemas o tipo de vida que levou. O livro as Flores do Mal, reúne praticamente toda a sua produção poética, contribuindo decisivamente para o desenvolvimento do conceito de "modernidade", de acordo com o prefácio do livro.

A obra conta também com os poemas que foram condenados e retirados da obra original na época, num processo movido pela Segurança Pública por ultraje à moral pública. Destaco um trecho do poema, destes que foram proibidos: Àquela que é alegre demais. 

Tua cabeça, teu gesto e ar
São belos como uma paisagem;
O riso em teu rosto a brincar
Está, como no céu a aragem.

[...]

Essa roupa louca é o emblema
Do espírito teu colorido;
Louca por quem estou perdido,
Odiar-te e amar-te é o meu dilema.

Durante a leitura dos poemas podemos perceber que o autor sofre graves dilemas. Ora se regojiza com a vida, ora a detesta, a humilha, deseja morte. Parece que os poemas são permeados por espinhos, abismos, ruínas. Parece que a alma do autor se desfalece em cada linha. São poemas sombrios, mas ao mesmo tempo doces, um pedido de socorro. Muito emocionante de ler.

Fui procurar algumas coisas sobre o autor na internet e encontrei um documentário bem interessante, que divido com vocês:




Quem tem os pensamentos como a cotovia,
Que para os céus bem cedo o seu voo já estende,
- Quem plana sobre a vida e sem esforço entende
A linguagem da flor e do que silencia!

Para quem gosta de poemas declamados, vou compartilhar um vídeo de um deles, que consta no livro. 
As traduções diferem de cada edição, e de cada tradutor.


Poesia sempre é algo muito pessoal e individual. Mas eu, particularmente, adorei conhecer o autor - acreditem, nunca tinha lido nada dele. E alguns poemas vão ficar pra sempre na minha memória, porque realmente marcam. 
Convido vocês também a fazerem essa travessia entre as sombras, para então enxergar a luz com outros olhos.


Sinopse:
O poeta crítico francês Baudelaire inventou uma nova estratégia da linguagem, incorporando a matéria da realidade grotesca à linguagem sublimada do romantismo, criando, dessa maneira, a poesia moderna. Sua obra-prima é o livro As Flores do Mal, cujos poemas mais antigos datam de 1841. Além de celeuma judicial, o livro despertou hostilidades na imprensa e foi julgado, na época, imoral.

:) :,( ;) :D :-/ :? :v X( :7 :-S :(( :* :| :-B ~X( L-) =D7 :-w s2 \m/ :p kk

0 comentário

Postar um comentário