Resenha : O Velho e o Mar, de Ernest Hemingway


Livro: O Velho e o Mar
 Autor (a): Ernest Hemingway
Editora: Bertrand Brasil / Gênero: Literatura Estrangeira / Aventura
Páginas: 126 / Ano: 2013
Skoob

     Oi, oi gente! tudo bem? Hoje vou trazer a resenha do clássico livro O Velho e o Mar, de Ernest Hemingway. Começo destacando que essa edição da Bertrand Brasil tá maravilhosa! Tem umas gravuras muito lindas dentro do livro, capa super sugestiva, letras ótimas de serem lidas, páginas amareladas. Tá linda mesmo, fico feliz quando leio um livro bonito - quem não fica? rsrs. Sou muito visual hahah. 




     Foi minha primeira experiência com o autor. Não sei se vai se tornar um favorito, mas pretendo ler outros livros dele. Precisamos julgar tudo ao ler um livro clássico - o ano que foi escrito e quando o autor o escreveu. A linguagem do livro é um pouco diferente da que estamos acostumados agora, mas nada rebuscado. Pelo contrário, a história é bem simples, bem direta. Senti quase como se estivesse lendo uma fábula.

     O autor nos conta a história de Santiago, um velho pescador. Santiago que em sua velhice já não acredita em sorte e não tem ninguém no mundo que se preocupe com ele, apenas um garoto chamado Manolin, que está aprendendo a pescar e vê na velhice e experiência de Santiago muitas riquezas. Mas fazem 84 dias que Santiago não pesca nada. Nem um peixinho. A situação está ficando difícil, já deve para a cidade inteira e precisa quase pedir esmolas para sobreviver. E pedir esmolas é uma afronta. Não admite. Então como todos os dias, sai novamente para pescar, acreditando que desta vez conseguirá algo. Não deixa o garoto Manolin o acompanhar, pois acredita que o garoto terá mais sorte em outro barco.


A vela fora remendada em vários pontos com velhos sacos de farinha e, assim, enrolada, parecia a bandeira de uma derrota, permanente.

     É então que a história fica emocionante. A gente acompanha a saga de Santiago tentando pescar um peixe. Parece que algo fisgou o anzol. E pelo jeito que puxa o peixe deve ser grande. Santiago tenta observar o peixe, mas está muito fundo, não consegue. Trava-se uma batalha entre o velho senhor e o peixe que duram dois dias. E o velho não tem ninguém no barco para conversar. Conversa consigo mesmo, conversa com o peixe, se afeiçoa a ele, começa a chamá-lo de irmão. A gente nota que o velho delira, que ora sente dó do peixe, ora sabe que sua vida depende daquela pesca. Deseja o menino ao seu lado, para ajudá-lo, mais como uma metáfora - deseja a força do menino, deseja voltar a ser jovem, pois nessa pesca suas forças se vão todas. Sente câimbras nos dedos, sente muitas dores. E quando finalmente o peixe morre, tubarões surgem, e a batalha começa novamente.

Não vou contar como termina, o livro é bem curto, para se ler num fim de tarde, rapidinho. Não vou dizer que foi um dos meus livros favoritos, mas me trouxe muitas reflexões: mostra que nossa vida é isso mesmo - batalhamos, batalhamos, e quando achamos que vencemos precisamos batalhar de novo. Que os mais fortes chegam e nos roubam o que conseguimos muitas vezes com tanto suor. Que ás vezes nos arrependemos do que fazemos, mas pressionados pela necessidade de sobrevivência precisamos fazer assim mesmo. Que a sociedade deixa à margem os idosos, que no fim da vida pouco se vê de dignidade e isso é muito triste. Um livro definitivamente ótimo para se refletir e é preciso ler com este olhar - de reflexão. Recomendo. 


Um homem pode ser destruído, mas nunca derrotado. 



Sinopse:
Best-seller em todo o mundo e também no Brasil, "O Velho e o Mar" conta a história de um pescador que, depois de 84 dias sem apanhar um só peixe, acaba fisgando um de tamanho descomunal, que lhe oferece inusitada resistências e contra cuja força tem de opor a de seus braços, a de seu corpo, e, mais do que tudo, a de seu espírito.
Um homem só, no mar alto, com seus sonhos e pensamentos, suas fundas tristezas e ingênuas alegrias, amando com certa ternura o peixe com que trava ingente luta até levá-lo a uma derrota leal e honesta.
Uma obra-prima da literatura contemporânea, dotada de profunda mensagem de fé no homem e em sua capacidade de superar as limitações a que a vida o submete.



1 comentários:

  1. Oi Michelle!

    Adoro livros para ler num fim de tarde, e é um clássico, tenho que ler!! E a edição parece ser muito bonita mesmo!

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
:) :,( ;) :D :-/ :? :v X( :7 :-S :(( :* :| :-B ~X( L-) =D7 :-w s2 \m/ :p kk