Resenha : Um Cântico de Natal e outras histórias


Livro: Um Cântico de Natal e outras histórias
 Autor (a): Charles Dickens
Editora: Martin Claret / Gênero: Contos, Fantasia
Páginas: 330 / Ano: 2015
Skoob

     Olá caros amigos leitores, tudo bem com vocês? Hoje a resenha que trago é desse livro que é um clássico, escrito por Charles Dickens - Um Cântico de Natal e outras histórias. A edição que li está belíssima, publicada pela editora Martin Claret em 2015.



     Amo livros e filmes que falem do Natal. É uma das épocas do ano de que mais gosto. Eu comecei a ler este aqui bem no finzinho de dezembro, fui lendo devagar para apreciar a leitura, já que se trata de contos, um gênero que gosto muito também, aliás. Já havia lido algumas frases soltas de Dickens, mas essa foi a primeira oportunidade que tive lendo um livro inteiro seu. Essa edição que a Martin Claret publicou está de brilhar os olhos. Em capa dura, com uma ótima escolha de imagem, o livro traz ótimas letras para serem lidas em seu interior, páginas amareladas e gravuras belíssimas, presentes em quase todos os contos. Algumas letras, principalmente os títulos de cada conto, contam com detalhes em dourado, fazendo alusão à época a qual se remete - o Natal. 

     Este livro vai nos transportar para uma das épocas mais mágicas do ano, de uma forma bem peculiar, apresentando-nos a Londres vitoriana com a proposta de nos fazer repensar a vida, prática intrínseca ao Natal desde então. Para quem não sabe, Dickens escreveu vinte e duas histórias natalinas no total, e neste livro vamos encontrar oito delas. Abaixo segue uma foto do Sumário:




Um Cântico de Natal é seu conto mais conhecido e me encantei com a abordagem do autor. Neste conto vamos conhecer um comerciante mesquinho e avarento, chamado Ebenezer Scrooge, que não quer nem saber desse negócio de espírito natalino. Seu sobrinho tenta em vão convence-lo a passar o dia com a família e seu empregado fiel quase se humilha para lhe pedir um dia de folga, o dia de Natal, para que possa passar com os seus. Scrooge só pensa em si mesmo, em sua fortuna e em seu egoísmo. É então que na véspera de Natal o espírito de seu ex sócio já falecido há um tempo, lhe aparecendo trazendo informações. Scrooge receberá três visitas - três outros espíritos virão. Scrooge de início não entende nada, e até caçoa do espírito do amigo, que demorou tanto para chegar (estava perambulando por onde, aliás? rsr). Mas a medida que as visitas começam a questionar a vida de Scrooge e lhe mostrar seus natais passados, seus natais presentes e futuros, Scrooge se arrepende de imediato por ter praticado tantos atos egoístas. O primeiro espírito lhe mostra os natais da infância e Scrooge se recorda de como era feliz. Onde será que foi parar toda a sua vivacidade, sua alegria?; o segundo espírito vai lhe mostrar o Natal presente, seus familiares reunidos sem ele, os apertos que a família do se empregado passa por receber tão pouco salário e que mesmo assim se lembram de agradecer pelo emprego que tem e pelo sustento que este gera; já o terceiro espírito de forma calada e provocativa lhe mostra o Natal futuro, sua morte, as pessoas dizendo que Scrooge só deixou avareza e mesquinhes em vida. Esse choque de informações altera o coração de nosso protagonista, que na manhã de Natal acorda outro - reconhece seus erros e resolve abrir o coração à vida e às cores natalinas. Uma história bastante comovente e que nos faz refletir nossas ações. 

Além deste conto, gostei muito do primeiro também - "Festas de Natal", que de uma forma doce, mas um tanto sarcástica, trata das festas natalinas em família, da peculiaridade de cada uma - mas que na verdade são festas bem parecidas, já que tem sempre aquele tio engraçado, mas bobo, aquela avó que pega no pé, aquele que atrasa, aquele que chega cedo demais, e por aí vai rsrs.

     "A história dos duendes que raptaram um coveiro" é um tanto estranha e por isso me chamou a atenção. Tem um toque de sombrio, sobrenatural, cheio de duendes e traz como mensagem principal que passar o Natal sozinho não é bom, o que havia sido a escolha de nosso infeliz coveiro e que o Natal, é preciso vivê-lo em conjunto, com sentimento e presença. 

Agora, o meu conto preferido foi o "Um episódio de Natal de O relógio do Senhor Humphrey". Este conto vai nos falar sobre uma amizade improvável que surge entre dois homens solitários que estão passando o Natal sozinhos em um restaurante. Vai tecer sentimentos entorno das dores da solidão, fala de como é deprimente passar o Natal sozinho sem ter com quem partilhar - ninguém no mundo deveria passar o Natal sozinho, e estes dois estranhos criam um lanço que vai perdurar por muitos e muitos natais.


Tinha saído para me animar com a felicidade dos outros e passado algumas horas a observar os numerosos pequenos sinais de festividade e júbilo que as ruas e as casas apresentam nesse dia. 

     Se vale à pena ler esse livro? Sim, sim! Com absoluta certeza. Este livro é um tesouro, e um dos primeiros a fazer analogias natalinas deste tipo. Muito do que conhecemos do que é o espírito natalino derivou destas linhas de Dickens. "Um cântico de Natal" é um dos contos mais lidos dos últimos tempos e ter essa obra prima em casa é um dever! rsrs. Me encantei com a obra, com a sutileza com que Dickens descreve seus personagens. As características que ele emprega em cada um deles é bem desenhada, fazendo aflorar a singularidade de cada pessoa, como ser único. Também não podemos deixar de notar o quando ele explora outros aspectos como as diferenças de classes sociais, a exploração da mão de obra, os sentimentos mais inversos que habitam os seres humanos: em seus contos nem todos são bons, nem todos são maus. Somos todos um pouco de tudo, humanos. A humanidade na sua forma mais crua e real. Aplausos para essa obra minha gente, simplesmente brilhante!


Assim o Natal me envolveu, de longe e de perto, até que eu chegasse a Blackheath e percorresse a longa avenida de velhas árvores nodosas de Greenwich Park, e fosse levado por um trem a vapor, através da neblina que tornava a se formar, até as luzes de Londres. Brilhantes reluziam elas, mas não tão brilhantes como meu próprio fogo e os mais brilhantes rostos ao redor, quando nos encontramos para festejar esse dia. 


Sinopse:
Em 'Um cântico de Natal e outras histórias' o leitor mergulhará na atmosfera mágica dessa época do ano e será transportado à Inglaterra vitoriana, com suas ruas cobertas de neve, fantasmas que assombram um avarento, famílias reunidas à lareira e até mesmo duendes que raptam um coveiro. Boa leitura!





:) :,( ;) :D :-/ :? :v X( :7 :-S :(( :* :| :-B ~X( L-) =D7 :-w s2 \m/ :p kk

0 comentário

Postar um comentário