Resenha : O oceano no fim do caminho, de Neil Gaiman


Livro: O oceano no fim do caminho
 Autor (a): Neil Gaiman
Editora: Intrínseca / Gênero: Fantasia
Páginas: 208 / Ano: 2013
Skoob


     Olá pessoas, tudo bem com vocês? Espero que sim! Hoje a resenha que trago aqui é do livro de Neil Gaiman, O oceano no fim do caminho, publicado pela editora Intrínseca. Esta é minha primeira experiência com o autor e já gostei demais! Espero ler muitos outros livros dele.

     Confesso que fiquei com uma dúvida tremenda de como começaria a escrever essa resenha. Foram tantos os sentimentos que me abordaram durante essa leitura! Quase que pensei que não a faria. Tem livros que travam a gente, e tentar expor em palavras o que a gente achou dele é como se estivéssemos negligenciando a genialidade do autor.


     O livro conta a história de um adulto de 40 anos que ao voltar à sua cidade Natal para um funeral acaba por, sem saber como, na casa de sua melhor amiga de infância, como se estivesse procurando por respostas, como se seu corpo fosse até lá por vontade própria (aqui na minha opinião, o garoto tinha a casa de sua melhor amiga como refúgio. Um refúgio de quando era criança, quando as coisas não davam certo em sua casa, a casa de sua vizinha era o lugar onde se sentia protegido, por isso quando adulto, em momentos que sua vida não estava indo bem, se via voltando para aquela casa, sem notar, deixando-se levar por seus passos, aquela casa no fim do caminho, a que tinha um lago no quintal, chamado de Oceano). 


Para onde ela foi? Estados Unidos? Não, Austrália. Era isso. Algum lugar bem longe. E não era mar. Era Oceano. O oceano de Lettie Hempstock. Lembrei-me disso, e, ao lembrar, lembrei-me de tudo. 

     Ao retornar para a casa de suas vizinhas, um turbilhão de emoções o invadiu. Lembrou-se de sua infância, das coisas bizarras que começaram a acontecer na vizinhança, depois que um cara que pegou o carro de seus pais resolveu cometer suicídio dentro desse mesmo carro. Mais lembranças vieram depois disso: seu gatinho que foi atropelado e havia morrido (substituído displicentemente por um outro gato nada fofinho e amistoso), uma babá que passou a morar no seu quarto porque sua família não estava financeiramente estável e precisava alugar o quarto em troca de serviços da moça, um episódio de seu pai quase o afogando em uma banheira. E junto com essas lembranças, um amontoado de coisas sobrenaturais acontecendo. Na verdade a babá que se mudara para sua casa era um monstro. Ursula Monkton o odiava e deixava isso muito claro. Quando o menino percebeu que se tratava de algo sobrenatural, procurou ajuda de sua vizinha Lettie e de sua avó e mãe, um trio muito sábio e corajoso. Aqui fantasia e realidade se misturam, o autor brinca com nossa imaginação. Eu ficava pensando - será que isso aconteceu mesmo, ou tudo não passa de ilusão da mente do menino?


As crianças, como eu já disse, seguem caminhos alternativos e secretos, ao passo que os adultos vão por ruas e caminhos predeterminados. 

     Por isso que esse livro é genial. Ele nos faz pensar. Ele é triste, porque notamos que a infância do garoto foi um tanto solitária, parece que os adultos de sua casa não se importavam muito com seus sentimentos, tinha uma mãe com voz pouco ativa, um pai que não batia, mas que de repente em um acesso de fúria quase o afogara em uma banheira, uma babá que mais parecia um monstro e que passou a ter um caso com seu pai, a imaginação do garoto que acredita que foi sua a culpa de uma babá tão má ter vindo morar em sua casa. A importância das três vizinhas, extremamente inteligentes e pacientes com o garoto, independentes e fortes, que fazem analogias constantes e que nos fazem pensar que são realmente fortes, mas que também foram abandonadas por seus homens, já que passaram a se virar sozinhas. Um livro permeado por dores que a sociedade em geral gera na gente e de como temos que criar ou fantasiar para que essa "dor" seja mais branda. Quando a gente fantasia, nada do que realmente foi é. Tudo passar a tomar proporções irreais, e o que foi real, o que realmente doeu e ardeu no peito, fica em segundo plano, porque a fantasia é muito mais atraente. Ou talvez eu esteja falando um monte de baboseira. Por isso é tão difícil dar um opinião do que achei deste livro. Ele é belo, sentimental, muito bem escrito, provocativo, em partes nojento (quando o menino tira o bichinho do pé quase larguei o livro hahaha, tenho muito nojo gente!), inteligente, brilhante, infantil, simples como uma criança e complexo como a mente de uma. Convido vocês a também mergulharem nesse lago, que parece raso, mas que é tão, tão vasto, como só um oceano pode ser. 


- Ninguém realmente se parece por fora com o que é de fato por dentro. Nem você. Nem eu. As pessoas são muito mais complicadas que isso. É assim com todo mundo. 

Sinopse:
Foi há quarenta anos, agora ele lembra muito bem. Quando os tempos ficaram difíceis e os pais decidiram que o quarto do alto da escada, que antes era dele, passaria a receber hóspedes. Ele só tinha sete anos.
Um dos inquilinos foi o minerador de opala. O homem que certa noite roubou o carro da família e, ali dentro, parado num caminho deserto, cometeu suicídio. O homem cujo ato desesperado despertou forças que jamais deveriam ter sido perturbadas. Forças que não são deste mundo. Um horror primordial, sem controle, que foi libertado e passou a tomar os sonhos e a realidade das pessoas, inclusive os do menino.

Ele sabia que os adultos não conseguiriam — e não deveriam — compreender os eventos que se desdobravam tão perto de casa. Sua família, ingenuamente envolvida e usada na batalha, estava em perigo, e somente o menino era capaz de perceber isso. A responsabilidade inescapável de defender seus entes queridos fez com que ele recorresse à única salvação possível: as três mulheres que moravam no fim do caminho. O lugar onde ele viu seu primeiro oceano.

2 comentários:

  1. s2
    Que maravilhosa essa resenha! Para começar já me interessei pelo título do livro, depois pela capa, mas depois de ler a resenha, fiquei: Meu Deus, como eu ainda não tenho este livro? Como eu ainda não o li.
    Se esse livro for tão fantástico quanto a sua resenha fez parecer que é, tenho certeza de que vou amar. Porque comprá-lo com certeza eu vou.
    Amei tanto a resenha e esse blog lindo que é claro que estou seguindo o blog! Parabéns pelo seu trabalho.
    Beijos,
    Magia é Sonhar
    Sorteio Marcadores de Página

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada pela visita! O livro é muito bom mesmo! Gostei demais!
      Grande beijo!

      Excluir
:) :,( ;) :D :-/ :? :v X( :7 :-S :(( :* :| :-B ~X( L-) =D7 :-w s2 \m/ :p kk