Resenha : Peter Pan, J. M. Barrie


Livro: Peter Pan
 Autor (a): J. M. Barrie
Editora: Martin Claret / Gênero: Clássico Juvenil
Páginas: 256 / Ano: 2017
Skoob



     Olá pessoas maravilhosas, tudo bem com vocês? Que tal uma viagem para a Terra do Nunca? Simmm! Hoje a nossa resenha vai fazer um lindo voo para esse mundo de fantasia criado por J. M. Barrei em Peter Pan, uma edição de encher os olhos da Martin Claret


Todas as crianças crescem, menos uma. Elas logo descobrem que vão crescer, e Wendy descobriu da seguinte forma: um dia, quando tinha dois anos, estava brincando em um jardim, arrancou mais uma flor e correu para entregá-la à sua mãe. Imagino que a menina devia estar especialmente linda, pois a Sra. Darling levou a mão ao coração e exclamou: - Ah, por que você não pode vidas desse jeito para sempre?!

Devo destacar que este é aquele tipo de livro que você TEM QUE TER NA ESTANTE. É um livro para ler com os filhos, para se deslumbrar, para morrer de amores pelas ilustrações, para suspirar a cada virar de página. Quando recebi esse livro em casa eu só sabia ficar admirando. O dono das ilustrações é o Weberson Santiago e se você adquirir essa edição, não vai se arrepender nem um tantinho, porque ela está linda de morrer! Não é exagero não gente, vou trazer umas fotos bem legais dela aqui para vocês. Está em capa dura, letras ótimas de serem lidas, com ilustrações em cada novo capítulo e ilustrações entre eles também. Outra informação super bacana é que o livro está traduzido de uma forma muito tranquila, não está cheio de palavras rebuscadas, apesar de sua primeira edição datar de 1911; tem notas de roda pé no decorrer do livro que te ajudam também em alguns termos pertinentes à época e super oportunos, auxiliando muito no decorrer da leitura. O livro também conta com uma apêndice interessante, com dados relacionados ao autor e à obra, e com propostas para trabalho de leitura com os leitores mais jovens, tipo um roteiro de discussão direcionado.














      Difícil quem não conheça a história do garotinho chamado Peter Pan, que vive na Terra do Nunca, não quer ser adulto, tem várias fadas como amigas e tem como principal inimigo um pirata chamado Capitão Gancho. Quando Peter Pan virou filme, lá em 1953, se tornou a maior bilheteria daquele ano. Muitas pessoas já assistiram e assistiram a esse clássico e fez parte da infância de muitas crianças. Houve adaptações da obra, houve um novo filme em 2003, e parece que as pessoas não vão se cansar nunca de recontar uma história que envolve talvez um dos maires medos da infância - o medo de crescer, o medo de deixar de fazer aquilo que mais gostamos: brincar. Apesar de conhecer a história, essa foi a primeira vez que li o clássico todo, o escrito pelo autor original mesmo. E fiquei deslumbrada com a história.

      Ao avançar na leitura, vemos tantas coisas pertinentes à época que foi escrito! Essa percepção de tempo é muito legal. Barrie nos apresenta à família Darling, uma família de classe média, mas que deseja fazer tudo conforme manda o figurino da época. Você percebe durante a narrativa que eles talvez não tenham tanto dinheiro como deveriam, e que o pai, o Sr. Darling vive fazendo contas, para saber se terão o que comer ao final do mês. Ter que alimentas três crianças não é tarefa fácil. Outro elemento que sugere a falta de dinheiro é que ao invés de uma baba, eles tem uma cachorra que ocupa esse lugar, mas o livro é muito fantasioso e parece que a cachorra é quase humana. 

     Os filhos são três Wendy, João e Miguel. E Wendy, como criança que é, tem uma imaginação muito fértil. Relata para a mãe certa noite que um garoto veio visitá-los, inclusive deixou folhas secas espalhadas pelo quarto. A mãe imediatamente diz que Wendy está sonhando, que isso não poderia ser possível. Mas em outra noite, o garoto esquece sua sombra, e agora a mãe de Wendy tem certeza que a história que a filha contou é verdadeira. 


     Certa noite, quando os pais das crianças vão à casa de um vizinho em uma festa, o garoto Peter Pan volta para buscar sua sombra. Wendy acorda, e ajuda o menino na tarefa de encontrar sua sombra. Quando começam a conversar, Peter Pan revela seu nome, revela que nunca cresceu e que não tem mãe. Mora na Terra do Nunca com outros cinco garotos que também não têm mãe, garotos perdidos que já tiveram mãe um dia, mas que quando se perdem acabam por terminar ali, na Terra do Nunca. Wendy se sensibiliza de imediato  e durante todo o decorrer da história podemos observar como é inerente a mulher essa necessidade de cuidar, de ser mãe. Wendy quer ser para os garotos a mãe que eles não têm. Quando João e Miguel também acordam, Peter Pan os convida a voar com ele até a Terra do Nunca, uma aventura que os três irmãos jamais vão esquecer.

      A escrita de Barrie é muito dinâmica e ágil. E em alguns trechos podemos notar seu tom sarcástico. Seu tom terno. Seu mundo imaginário que nos presenteia com trechos inteligentes e falas provocativas que instigam nosso pensar. No decorrer do livro vamos sendo sugados para um mundo de fadas, piratas, índios, crocodilos. Observamos nascer um amor puro entre Wendy e Peter Pan, observamos os atos egoístas de Sininho, que morre de ciúmes da atenção que Wendy recebe de Peter, e essa indicação de sentimentos bem clara auxilia na construção da personalidade e da percepção de sentimentos dos pequeninos que houvem essas histórias. Alguns trechos são bem fortes, há mortes no livro, flechadas, o Capitão Gancho que perde uma parte do corpo para um grande crocodilo (e que depois serve de alimento para ele hahah), então é uma história impactante, que precisa ser esmiuçada e digerida com clareza. 

      Peter Pan é um livro inteligente. Um livro que traz o desejo de um garoto de nunca crescer. Que acha que não precisa de amor de mãe, mas que sente a necessidade de ser cuidado. Talvez não seja mais de mãe que ele precisa. Mas se ele se recusa a crescer, como deixar de ser alguém que precise de cuidados? Uma mistura de sentimentos esse livro, afinal quem não tem vontade de viver para sempre nessa tal Terra do Nunca e viver de fantasia pra sempre? Para quem ainda não leu o clássico, te convido a pensar em coisas alegres, para que possa tirar os pés do chão, para que possa acreditar, porque só um pessoa de coração puro, uma criança, é capaz de voar e pegar o caminho segunda à direita e sempre em frente até de manhã, para que possa chegar à Terra do Nunca e viver as aventuras mais incríveis, as aventuras mais loucas que uma criança pode imaginar. 


- O que foi que aconteceu? - gritou ele outra vez. Ela precisava lhe contar. - Eu estou velha Peter. Já tenho bem mais de vinte anos. Cresci há muito tempo. - Você me prometeu que não ia crescer!

Sinopse:
Publicado em formato de livro por J. M. Barrie em 1911, retrata o encontro do menino que não queria crescer com os três filhos da família Darling. Os quatro embarcam em uma aventura inesquecível que começa no céu de Londres e os leva à Terra do Nunca. Ali, encontrarão outros personagens icônicos, como o Capitão Gancho, o crocodilo, as sereias e os índios. A obra continua sendo um sucesso entre todos os públicos, com sua temática nostálgica e divertida. Esta edição possui ilustrações e um apêndice especial.


:) :,( ;) :D :-/ :? :v X( :7 :-S :(( :* :| :-B ~X( L-) =D7 :-w s2 \m/ :p kk

0 comentário

Postar um comentário