Resenha : Chove Granito, de Gabriel Tempobono


Livro: Chove Granito
 Autor (a): Gabriel Tempobono
Editora: Independente / Gênero: Poemas / Crônicas
Páginas: 100 / Ano: 2016
Skoob 


        Oi oi galera linda! Tudo bem com vocês? Resenha linda desse livro publicado de forma independente pelo Gabriel Tempobono, “Chove Granito”. Gosto muito de ler livros de autores brasileiros e quando eles lançam livros independentes fico muito feliz de poder ler e prestigiar, para que mais pessoas conheçam o trabalho. Não é fácil começar, não é fácil ser reconhecido, então sempre que posso dou uma força fazendo o que há de melhor: lendo. Só assim podemos espalhar nossa experiência de leitura com outras pessoas.


        O Gabriel além de escrever ilustrou todo o livro. E gente, que coisa mais fofa as ilustrações. Todo o trabalho final ficou perfeito, uma edição muito linda publicada de forma independente. Achei que ficou perfeito o trabalho de capa, as letras e a disposição do conteúdo. Dá gosto de ler.

        O livro fala sobre sentimentos, textos curtos sobre amor, separação, dor, segundas chances que a vida dá, sobre garotas que despedaçam corações, sobre amores que valem a pena serem contados. Um emaranhado de idéias bem delineadas que Gabriel resolveu ilustrar e dispor em forma de livro.


        Vale à pena a leitura para conhecer a obra. Não é um texto fantástico, mas algo bem gostoso de ler, bem sincero e notamos que o Gabriel colocou muito do seu talento gráfico no livro. Vale a pena pelo capricho e pela ousadia, pela simplicidade dos traços e doçura das palavras. 










Sinopse:
Eu falo sobre o agito dos tornados e a fúria das ressacas. Falo Sobre as fotos sem molduras, tortas e escuras. Sobre as cartas borradas pela chuva e por toda maquiagem que escorreu dos olhos dela, ao acordar desesperada e ver que seu amor de uma noite saiu correndo pela porta da frente. Eu falo sobre o medo de altura e sobre ser o Everest. sobre ter o abraço tão quente quanto o Alasca e a mente tão sóbria quanto uma overdose. Tento explicar que não existe coração quebrado que não pode ser colado, costurado e construído do zero. Eu sou uma tempestade de pedras que quebra seu crânio, tritura todos os seus ossos e esmaga todos os seus órgãos, mas dói menos que o amor. Tudo isso é sobre ser a maior tempestade.

2 comentários:

  1. Bom estar aqui...

    Aconteceu um probleminha com a lista de blogs que eu sigo, por isso estou seguindo de novo.

    Beijos
    Ani

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Ani!!!! Seja bem vinda de novo! hahah
      grande beijo!

      Excluir
:) :,( ;) :D :-/ :? :v X( :7 :-S :(( :* :| :-B ~X( L-) =D7 :-w s2 \m/ :p kk